Fórum RPG somente para jogadores dentro o grupo. Caso tenta interesse em entrar, entre em contato com a administração.


    [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Compartilhe
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 287
    Data de inscrição : 05/03/2014

    [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Rin Damien em Sab Abr 12, 2014 3:01 am

    Horário: Madruga boladona.
    Membros: Rin e Zion.
    Resumo: Rin decidiu pôr um fim de uma vez por todas - ou ao menos, uma vez na vida - ao caos que é a aparência de Zion.

    -

    O plano estava concretizado em sua mente. Apesar de ter aprendido a ignorar, em grande parte (apesar de ainda desprezar) a aparência do regente de aquário, que sempre parecia que havia saído de um furacão movido a óleo, sujeira, e sabe-se lá o que mais. Tinha vontade de limpar aquela desgraça, certo, mas logo aprendera que não era algo que seria fácil de se fazer. Zion era de aquário. Isto já resumia extremamente bem o problema.  No entanto, da última vez que o vira, começara a formar um plano. Talvez por ter sido chamado de inútil; enquanto o virginiano normalmente não ligava para vingança ou qualquer coisa do tipo, queria fazer algo sobre aquelas palavras. Apesar de café quente na cara ou nos robôs que possuíam certa tendência a se descontrolar ser uma boa ideia, havia uma coisa que seria melhor ainda. Se conseguisse deixa-lo decente, limpo, e arrumado, faria algo que considerava impossível. E ele não gostaria nada. Era uma boa meta.

    Sabia muito bem que o plano tinha pouquíssimas chances de ser executado sem nenhum transtorno, mas estava preparado. A primeira parte do mesmo envolvia algo comum para si. Ou quase. Fizera tudo que normalmente fazia durante o dia, e quando chegara a madrugada, preparara uma xícara de café, e a depositara em uma bandeja, porém, não antes de adicionar algo especial no líquido, com um sorriso quase maligno na face. A vantagem de trabalhar no laboratório o faziam ter acesso a muitas, muitas coisas. E, era cem por cento confiável com o que quer que houvesse de secreto lá, porém, pegara um pouquinho de uma substância que era normal em remédios, que ninguém daria falta.  Algumas gotas e Zion ficaria sonolento e com dificuldade para se mexer, o que provavelmente faria daquilo tudo muito mais fácil.

    Fora calmamente até a oficina com a bandeja, local em que Zion tinha grande chance de estar, se não se encontrasse consertando ou destruindo alguma coisa pelas outras naves. Por pura educação, bateu na porta de metal, logo após a abrindo e constatando que estava certo. Lá estava o aquariano. Nem fingiria estar preocupado com o padrão de sono alheio, sabendo que aquela era uma pessoa incorrigível, e bom, Rin também estava lá, tendo feito café e o utilizando para um plano maligno no meio da noite. Não poderia falar nada. Usando seu sorriso mais simpático, se aproximou, questionando no tom que deveria ser comum a alguém que já ouvira aquela pergunta tantas vezes. – Quer café?


    Última edição por virrrin em Qui Jun 19, 2014 5:34 pm, editado 1 vez(es)
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Zionga em Dom Abr 13, 2014 5:28 am

    Fazia certo tempo que o regente de aquário não se sentia tão bem naquela oficina. Por mais que ela estivesse mais caótica do que nunca, talvez fosse esse motivo que o deixava tão feliz ali. Nunca fora adaptado aos padrões que as outras pessoas consideravam normais. Para ele que vivera sempre com sucatas empilhadas em pseudo-lixões tecnológicos, quanto mais bagunça e desordem, mais fácil ficava de se achar. E com tudo destruído daquela forma, estava praticamente no paraíso. As coisas só ficariam melhor se ele conseguisse colocar suas novas ideias em prática, seguido de instala-las na nave sem o conhecimento de Harold, ai sim, sua vida estaria completa.

    Gargalhou sozinho com a ideia, visivelmente animado com o trabalho que fazia ali no chão. Era normal Zion trabalhar ali, no local menos provável para se trabalhar, já que a área de criação era composta de diversas mesas, cadeiras e tudo para um trabalho confortável. Mas só funcionavam com as pessoas que se encaixavam nos padrões normais de cidadães, bem diferentes do ruivo. Não era por nada que viviam o chamando de do contra. Mas, ele só não havia sido criado como todos. Quem dera se tivesse sido assim, pff.

    Ignorava ou tentava ignorar os pensamentos, um outro defeito seu que as vezes irritava, principalmente em momentos como o que se encontrava ─ cercado com pilhas e mais pilhas de material. Pensar demais atrapalhava a concentração, por mais que não ligasse fazer mil coisas ao mesmo tempo. Por exemplo, falar com a mamãe enquanto tentava cozinhar jogando video-game espiando Arthemis e bebendo café, acredite, ele já havia feito tais coisas várias vezes. Entretanto agora era diferente e pensar estava irritando. Por isso ativou a opção de música de Chang, desligando-se do mundo exterior e também do interior. Agora era só ele e suas preciosidades até Abel sabe-se lá quando.

    Cantarolava vez ou outra, provavelmente errando toda a letra das músicas, mas foda-se, ninguém se importava consigo ali desde que estivesse fazendo o que tinha de fazer. E o fazia. As ferramentas ─ não tão tecnológicas, preferência pessoal ─ trabalhavam com fervor sobre as peças que encaixava, tal como os dedos cobertos por uma fina luva preta rasgada e suja trabalhavam com graxa, fios, botões, chips e todas essas coisas malucas da qual ele e alguns poucos entendiam. Assim nem vira o tempo passar, colocando um pirulito ou bala na boca de vez em quando para manter-se mais atento, seja dia ou seja noite. Se estava acordado produzindo, estava tudo okay.

    Os funcionários que vez ou outra trabalhavam ali ─ obviamente em seus respectivos cantos e sem incomodar o aquariano ─ já haviam se retirado tal como a madrugada deixava tudo silencioso e até um tanto macabro. Com exceção do cantinho de Zion que parecia ser a única parte ainda decentemente iluminada ali. Não podia-se dizer a mesma coisa em relação aos sons, já que seu aparelho auditivo era muito bom para deixar a música boladona que ele ouvia escapar. Porém nada do local era novo para o rapaz, incluindo as marcas de destruição, afinal, não era como se ali já não vivesse destruído.

    Colocou as ferramentas ao chão próximo de si para que a mão livre ─ e suja ─ pudesse tatear a roupa ─ já tão suja quanto ─ em busca de doces, mas por mais que procurasse nada encontrava. Isso era ruim, isso era muito ruim. E agora? A solução certamente era ou buscar mais doce e café, ou usar uma das cargas que usava quando precisava de energia nas missões. Entretanto não iria usa-las, não, não... Aquilo era preciosidade e só podia usar em casos extremos, já que tinha como efeito colateral ainda mais cansaço. ─ 'Tá maluco eu usar aquilo sem ser em emegenêcia.

    Fora assim que decidira dar um tempo nas suas lindezas ─ que o deixaram todo acabado, desarrumado, sujo, descabelado, marcado e coisas assim ─ e ir atrás de suprimentos. Desligou a música, ajeitando o aparelho para voltar a escutar bem. Levantou-se, batendo em suas vestimentas por puro costume, já que tal ato só o fazia ficar ainda mais sujo, alongou-se um pouco e... Mas que merda? Quem estava ali batendo na porta? Com certeza não era ninguém que trabalhava ali, pois certamente não bateria, e se todo mundo daquela área já estava ausente era porque a madrugada reinava. Não fazia sentido alguém ali e tudo fez menos sentido ainda quando Rin apareceu ali, revelando ser quem lhe interrompera. Quem diria o virginiano acordado tão tarde, justo o regrado da parada. Mas deu de ombros, estava tudo uma loucura esses dias que se o loiro estivesse tendo insonia não iria se espantar. Acenou com uma das mãos levemente enquanto o sorriso grande e idiota tornava-se presente perante a aproximação do outro com a xícara.

    Pelos amores de Abel aquele vagabundo, suas preces de preguiça para se aventurar na nave de noite foram atendidas. ─ Caro! Como recusar café, né? ─ Aumentou mais um pouco o sorriso que afetara sua visão, diminuindo logo em seguida para pegar o objeto com o líquido das mãos alheias. Sem nenhuma hesitação tomou um bom gole, sentindo-se renovado e satisfeito quase de imediato. ─ Mas assim, por acaso você não teria algumas balas e pirulitos com você? Eu ia pegá, só que cê aqui, não custa nada dar umas perguntadinha antes. ─ Riu, dando alguns tapinhas amigavelmente fortes num dos ombros de Rin. Outra coisa que o aquariano não tinha: noção do perigo. Apesar de que perigo com o virginiano, haha, piada. Nunca iria entender o porque dos outros regentes temerem tanto o maniaco de limpeza tampinha. Deu mais um gole no seu café, desta vez com uma das sobrancelhas arqueadas, lá vinha alguma coisa de sua mente 24/7 ligada no máximo. ─ Ah, afinal... Que que cê tá fazeno aqui, rapaz? Já deve ser tarde, se até o pessoal dessa área já medeu o pé! Perdeu o sono com sá bagunça toda que tá os luga?

    Sequer esperou uma resposta, já estava sentando no chão novamente e uma vez ali com o outro regente perto, puxou-lhe a mão com certa força para que ele fizesse o mesmo. É, definitivamente ele não tinha noção do perigo, assim todos os outros diriam e talvez até seu alarme interior, mas quem disse que Zion ligava pra ele? Devia estar quebrado, certamente.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 287
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Rin Damien em Ter Abr 15, 2014 10:23 am

    De fato, a aparência daquele menino estava uma coisa absolutamente repugnante para o virginiano. Não era muito diferente do normal dele, mas talvez ao vê-lo em seu ambiente natural, que também era extremamente bagunçado, a situação parecesse pior. Isto apenas fez com que a determinação de Rin aumentasse; hoje seria o dia em que Zion ficaria decente. Esperava que tivesse uma câmera no meio daquela oficina, pois sentia que teria que tirar uma foto do feito e pendurá-la na sala de Abel, como prova de um ato heroico de um dos guerreiros do zodíaco.

    O pedido por coisas açucaradas do aquariano não o incomodou, no entanto, os tapinhas em seu ombro fizeram com que sorrisse com irritação, segurando a vontade de estapear os dedos alheios para longe e sair para botar a camisa que usava para lavar. Provavelmente tinha graxa, óleo, sujeira, e mil outras coisas nela agora. Mas não, a missão teria que seguir adiante. Ele já tomara o café, e não funcionara imediatamente; agora o observaria com cuidado pra ver se teria sucesso na primeira parte do plano.  Seu tom de voz era perigosamente calmo ao falar. - Não tenho isso aqui comigo, mas se você tentar se limpar um dia, posso te trazer doces, além de café. – Nem sabia porque estava propondo aquilo; talvez só para dar um tom de normalidade à situação.

    Começara a responder a outra inquisição ao ouvi-la, antes de ser puxado para o chão imundo para sentar-se à frente de Zion. Parou por um segundo, refletindo se não deveria mesmo bater nele com algo, antes de respirar fundo. [i]Se controle, idiota. Honre seu elemento.[i] Agora precisaria lavar as calças depois, também. Nada que não pudesse superar, certo? – É, eu perdi o sono. Quando eu perco o sono, faço café, e como metade da nave não dorme, fiz pra vocês. – Mentiu, descaradamente, com um sorriso no rosto.  Era estranhamente bom naquilo. Por aquilo o outro teria que presumir que já entregara o café de todos e parara ali por último; que tinha uma razão completamente normal para estar no local.

    Olhou em volta, analisando mais uma vez o lugar. Era completamente desorganizado, mesas de trabalho e aparelhos de todos os tipos e tamanhos espalhados no espaço amplo. As coisas em que o aquariano parecera estar mexendo, no entanto, estavam no chão. Deveria ter o que ele precisaria ali, também, em algum lugar daquela bagunça. Talvez alguma outra hora esperasse pra ver quando Zion dormiria naturalmente, e viesse para organizar o local. Não, má ideia. Provavelmente acabaria explodido acidentalmente. Tinha a certeza de ter visto alguns bichos metálicos pequenos se mexendo por ali. Voltou a observar o outro atentamente, procurando sinais do efeito de seu café.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Zionga em Qua Abr 16, 2014 12:05 am

    Ajeitou-se no chão, acomodando-se de forma que ficasse confortável novamente. Certamente aos olhos do virginiano estava infantil, sentado ali de forma tão relaxada e desleixada, mas não era como se a opinião do outro importasse muito. Deixou que seu rosto se contorcesse em uma careta perante a resposta de Rin, visivelmente desapontado, porém nada que durasse muito. Logo o aquariano já dava de ombros e bebia mais do café que por sinal estava muito bom.

    Não é como se eu não me limpasse, é só que eu me sujo com mais falicidade que o resto dos regentes. Sem contar que eu também tenho menos tempo livre que a maioria de 'cês. ─ Não falava aquilo por maldade, apesar de achar o fato um tanto injusto. Estava alheio demais para querer magoar o virginiano e se quisesse, certamente não seria daquela forma. Iria deixar para pegar os doces depois, talvez quando começasse a amanhecer. O copo de café iria lhe manter alerta por mais um bom tempo, então estava tudo okay. ─ 'Cê sabe, mal consigo ir comê fora daqui, quanto mais me manter tolamente limpo o tempo todo... pff. ─ Deixou-se gargalhar com a ideia, pondo o café de lado para não cuspi-lo/derruba-lo.

    Respirou fundo após ter sua pequena crise de riso, passando então a olhar Rin sentado a sua frente com interesse. Não esperava que o outro aceitasse seu convite de ficar um pouco ali, geralmente ele evitava o local ao máximo pela bagunça. Mas após ouvir a explicação se sentiu mais compreensivo, o rapaz devia estar passando por alguma coisa e como uma boa alma, o aquariano iria tentar ajudar. ─ Faz sentido... Mas 'ocê 'tá bem? Digo, sem esse coiso de não dormire tal. Anta acontecendo tanta coisa na nave, sei lá... ─ Tentar fazer com que o outro falasse e lhe deixasse ajudar era o primeiro passo, afinal, ele não iria permanecer ali se não quisesse a ajuda de Zion pra algo.

    Por incrível que pareça o aquariano soltou um bocejo antes de pegar novamente a xícara para terminar de vez o café, mas o fato passou despercebido pelo ruivo que sequer ligou para aquele cansaço repentino. Mas seu subconsciente notara, forçando-o a pegar algumas peças para montar algo, mantendo-se assim um pouco mais alerta. Mas não deixava de prestar atenção no loiro, desviando o olhar constantemente da máquina para ele.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 287
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Rin Damien em Qua Abr 16, 2014 11:03 pm

    Não ligava para o que Zion dissera sobre ter menos tempo que os outros; ele realmente tinha, apesar de os outros guerreiros normalmente terem muito o que fazer.  E daí que o trabalho o deixava mais sujo? Não era razão para não se limpar de quando em quando. Tinha impressão de que o aquariano nunca vira um banho em sua curta vida. Apenas arqueou uma sobrancelha, não se preocupando em responder. Algo que normalmente ignorava, se não fossem erros absurdos, eram as manias de fala do outro, que tendia a pronunciar várias palavras de um jeito que até poderia ser engraçado, se o virginiano não tivesse tanto complexo com organização. Porém, nas palavras particularmente erradas, Rin o corrigia na hora. Facilidade. Totalmente. Teria suspirado com desgosto, porém, estava em uma missão para se manter o mais amigável possível enquanto Zion não dormia. Qualquer coisa que o energizasse demais, como uma briga, não seria bom.  

    Não esperava, no entanto, ouvir uma preocupação que parecia genuína vinda do ruivo, mesmo que o guerreiro de virgem estivesse mentindo sobre a razão de estar ali. Ele era realmente uma pessoa simples, não era? Não se sentia culpado, porém, o encarou por alguns segundos enquanto decidia o que falar. Não era de seu feitio reclamar sobre tudo, não, isto era Harold. Mas, se fosse reclamar de algo, ao menos tinha razões extremamente válidas, que eram apenas puras verdades.

    - Eu... - Pausou, formulando o que ia falar, um sorriso perturbado surgindo em seu rosto. – Acho todos completos idiotas.  Brigando por razões estúpidas, sem pensarem nas consequências. Que eu normalmente não tenho como impedir. E, claro, se se machucarem, e se machucam, eu tenho que cuidar deles. Dá certo estresse depois de um tempo. Eu não me importaria se fosse por uma razão normal, alguma missão... Mas não, muita gente só de se olhar já vai brigar. Idiotas.  – As palavras saíam com naturalidade. Era o que realmente achava, apesar de ser estranho estar falando daquilo com Zion, de todas as pessoas. Continuava o observando, vendo os efeitos do café começarem a se fazer presentes. Ótimo. Continuou, em um tom mais calmo do que o anterior, para ver se o processo se acelerava. – Sabe, da próxima vez que algo assim acontecer, vou rir, deixar eles afogados no próprio sangue e ir falar com Abel, pra ver se ele, pelo menos, consegue dar alguma lição de moral nessa nave. Acho que só vai funcionar vindo dele.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Zionga em Dom Abr 27, 2014 3:25 am

    Mexia em alguns fios com habilidade, colocando a língua para fora um pouco concentrado no que fazia. Mas não totalmente, pois ainda lançava alguns olhares amigáveis para Rin e o ouvia com bastante atenção, balançando positivamente a cabeça para o outro saber que ainda o ouvia. As pessoas podiam não ligar muito para esse fator, mas uma das características aquarianas era ser humanitário e sempre tentar ajudar com o que estava ao seu alcance, principalmente quando se tratava de pessoas que ele prezava ─ por mais que ele não falasse com boa parte da nave e, em especifico, não se dava muito bem com o virginiano... Ele gostava daquele pessoal, apesar de tal fator.

    Sabe, as pissoa as vezes demonstram admiração, apego e coisas desse tipo de formas diferentes, as vezes de forma até estranhe e nesse caso, violenta... Eu acredito que tudos da nave acabam sendo desse jeito. ─ A expressão do ruivo estava um tanto diferente do normal, um pouco mais abatida, talvez séria, não sabia bem, era ruim com essas coisas muito humanas como demonstrar emoções além de "felicidade". Havia parado o que fazia, para levar ─ após limpar porcamente na roupa ─ uma das mãos até os fios de sua nuca, coçando a região sem jeito. Soltou um longo suspiro e então lançou um olhar meio abatido para o loiro.

    Entretanto, não permitiu-se ficar tanto tempo daquela forma. Se queria ajudar, não podia demonstrar estar da mesma forma ou pior que o outro regente. O sorriso vivido, alegre e grande de Zion logo tomou conta de seu rosto, deixando-o de certa forma, mais jovial ─ o que de fato, ele era sendo o mais novo dos regentes. ─ Acho que você não deveria se preocupar tanto com isso, apesar de ser uma boa coisa vinda da sua parte. ─ Soltou então algumas gargalhadas animadas, talvez para fazer o outro não se sentir ofendido, não sabia ao certo. ─ Cedo ou tarde eles vão perceber quem é o verda-...

    E sem poder terminar o que falava ou até mesmo a sua linha de raciocínio sobre o assunto, um cansaço repentino tomou conta do aquariano. Era como se o rapaz tivesse recebido um soco perfeito no queixo com o sono. Suas pálpebras pesaram como nunca e todo o seu corpo ficou pesado, estava perdendo a consciência, tinha sido nocauteado. Droga! Era o que queria falar antes de observar num borrão o virginiano enquanto caia, mas tudo o que conseguiu pronunciar foram alguns gemidos de decepção.

    Aquilo não podia estar acontecendo! Não era para ele estar dormindo, muito menos de forma tão repentina, ele havia acabado de tomar uma xícara de um maravilhoso café... Oh, o café. Maldito Rin, maldito! Antes que pudesse perceber o ocorrido de forma decente, tudo se tornou negro e logo estava num de seus mais profundos sonos.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 287
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Rin Damien em Dom Abr 27, 2014 4:07 am

    Era quase engraçado ver Zion realmente tentando dar conselhos sobre aquele assunto, sendo que ele interagia mais com máquinas que com qualquer ser humano no dia-a-dia. Porém, a intenção era boa, e mesmo que o fato não fizesse Rin desistir de seu plano por um segundo sequer, era uma qualidade do aquariano que nunca esperara ver; talvez por evitar ou não conseguir (ou até querer) ter uma conversa decente com o outro. – Não acho que isso seja forma de demonstrar afeição. Nem um pouco. Alguma hora eles vão se machucar seriamente, e arrependimento não vai ajudar ninguém. – Suspirou, cansado, ainda falando sério.  

    Ainda observava o aquariano atentamente, se perguntando quando o remédio faria efeito, sentindo o nojo que estava se tornando comum naquele cenário quando ele coçou a nuca com uma das mãos imundas. Não teria nada no mundo que o deixasse limpo, e com certeza limpar a mão nas roupas igualmente sujas não resolveria nada.  Porém, sua expressão não se alterou, o sorriso ainda na face, e já que sua atenção estava focada, também notou uma das expressões do ruivo que não poderia ter durado mais que alguns segundos. Ele também parecia não estar muito bem. Mas nada que um sono - ainda que forçado – e uma limpeza geral não resolvessem, não é?

    Teria se preocupado em entender o que o outro queria dizer quando apagou, mas vendo que o café tivera o efeito desejado já fora gratificante o suficiente para não ligar mais para a conversa que estavam tendo. Quem sabe, outra hora, conversassem novamente. A primeira parte do plano estava completa. Agora, a segunda.

    Zion não era pequeno, e muito menos leve. Arrastou-o para a parede mais próxima com esforço, o deixando sentado e devidamente encostado nela. Às coisas que ele mexia anteriormente, deixou em cima de uma das mesas de trabalho; e retirou o aparelho de surdez alheio com cuidado, o colocando no mesmo lugar. Certo, agora a segunda parte dependia de achar o que estava procurando ali, algo que tinha certeza que o local possuía. Procurou nos lugares mais organizados, que sabia que a pessoa que estava tentando limpar não usaria. Algo usado para apagar incêndios, com certeza estaria à mão. E não deu outra, em poucos minutos achara uma mangueira, que se desenrolava o suficiente para ir até onde o aquariano se encontrava. Por ter que tirar tanta sujeira, e pela simples dificuldade que seria dar um banho naquele homem, achava que era o modo mais simples de tirar o grosso da sujeira seria este. Depois, limparia o que restava de uma forma mais prática, e tentaria arrumar o cabelo dele também.

    Girou a válvula que deixava a água fluir pela mangueira, botando em uma pressão aceitável, e a apontou diretamente para o corpo alheio, rindo enquanto constava que seu plano tinha o maior sucesso possível. Ele já parecia mais limpo com os poucos segundos que administrara aquela mangueira. Sabia que ninguém o ouviria, mas não deixou de falar. – Eu até pediria desculpas, mas eu realmente não me arrependo. Você vai sair daqui brilhando. E não demorou para que Zion parecesse uma pessoa completamente diferente, só com a corrente de água constante. Rin teve a certeza de fazer o melhor trabalho possível, até que finalmente desligou a mangueira, a deixando arrumada no canto em que pertencia, e ir buscar uma toalha.

    Assim que voltou, com o que procurava e mais alguns poucos objetos que lhe seriam úteis, se ajoelhou do lado do corpo inconsciente, pegando a toalha e começando a secar com cuidado o rosto e o cabelo alheios, cantarolando uma música qualquer enquanto o fazia. E por secar, queria dizer também terminar a limpeza, retirar qualquer sujeira que não houvesse saído anteriormente. Assim que obteve um resultado decente, puxou um pente das coisas que buscara, deixando a toalha sobre o ombro, e começou a deixar os fios ruivos o mais arrumados possíveis. Ao menos o cabelo era curto. Não queria nem pensar se estivesse arrumando Ren ao algo do tipo.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Zionga em Dom Abr 27, 2014 5:37 am

    O sonho era bom ao menos. A quanto tempo o regente de aquário não tinha um sono tão pesado a ponto de sonhar como aquele? Talvez a última vez fora antes de conhecer Harold e entrar naquela nave. E não podiam ser realmente contados como sonhos, já que eram pesadelos constantes que ele tanto temia, ou podiam?  Bem, voltando para o sonho da vez, era com a Arthemis e por um mistério milagroso só possíveis em sonhos, ela estava viva e bem ao lado ─ nos braços também, já que o rapaz a envolvia com um deles ─ do ruivo jogando vídeo-game. Um dia perfeito de chuva passado com a namorada dentro de casa, gastando tempo com coisas divertidas e que Zion tanto gostava. Ah, era tudo tão perfeito que poderia ficar assim para sempre... Não, ele não queria ficar ali para sempre.

    Zion queria era pendurar Rin de cabeça para baixo e sacudi-lo até o menor pedir se desculpar umas dez mil vezes e implorar para o ruivo o colocar no chão! Como aquele baixinho ousou colocar alguma substancia estranha no café do aquariano? Ele ia pagar, com certeza ia pagar. Aquele sonho perfeito poderia esperar mais um pouco ou talvez até esperar para sempre, primeiro tinha contas a acertar com o virginiano.

    Os olhos verdes do ruivo se abriram num instante, carregados de um ódio e seriedade que muitos poucos viam ─ talvez nem mesmo seu irmão de consideração. Antes que o regente de virgem pudesse perceber que ele tinha acordado, o aquariano com uma destreza e força incrível levou uma das mãos até a gola da camisa alheia, apertando-a e puxando-a para que pudesse ficar cara-a-cara com Rin. Fazia questão de permitir o loiro a ver como os sua visão ardia em fúria. ─ O, que, caralhos, você, pensa, que, está, fazendo, Rin? ─ Sua voz demonstrava igualmente o descontentamento, por mais que estivesse mais baixa que o normal usado.

    Assim que achou o suficiente para o virginiano sentir sua irritação, afrouxou o nó de seus dedos com a roupa alheia, empurrando-o para trás com força e se levantando logo em seguida. Se fosse possível ver a aura das pessoas, o ruivo estaria no momento cercado com escuridão. Suas sobrancelhas tentavam se juntar ─ formando algumas rugas em sua testa ─, seu maxilar estava marcado, suas expressões mais sérias do que nunca e suas mãos cerradas com força. Deu um, dois, três passos firmes e pesados na direção de Rin enquanto sua respiração fazia um barulho estranho ─ talvez por ser a única coisa que conseguia escutar bem sem o fone ─, visivelmente pesada. Parou frente ao loiro, bem próximo do mesmo para que ficasse visível a diferença de altura. Nunca fora disso, mas ali, queria se sentir superior e tal fator contava para isso.

    Levou novamente sua mão a camisa do virginiano de forma tão forte quanto antes e então, voltou a andar, empurrando o menor junto consigo. Não iria deixá-lo lhe impedir de fazer aquilo, tinha muito mais força e nem que ele tentasse lhe machucar seriamente Zion não iria parar até querer. E ele quis quando chocara o corpo de Rin com uma das mesas dali, aproximando dessa forma ainda mais os corpos.

    Quando percebeu que havia prendido o outro ali entre si e a mesa, viera a afrouxar aos poucos o aperto sobre o tecido. A mão estava finalmente livre, dessa forma, podendo-a faze-la subir lentamente pelo pescoço do virginiano, deslizando para a nuca e entrelaçando os dedos com os fios claros. Zion sabia fingir também e fizera isso colocando um sorriso travesso, porém com um conteúdo diferente do de sempre. Estava mais libidinoso, assim como o tom da sua voz. ─ Se 'cê queria me limpar, podia ter pedido... ─ E assim dito, o aquariano selou os lábios de Rin com os seus, não lhe dando oportunidade de reagir já que a mão que se encontrava em sua nuca o forçava a permanecerem no ato.

    Sabia que o loiro não esperava e provavelmente nem queria o beijo. Zion só esperava que esse não fosse o primeiro dele, afinal, já bastava ser o seu. Mas não iria desistir agora e como não sabia bem como funcionava, tratou de fazer o que via quando parava para assistir algo que não costumava ─ romance, certamente.

    Assim que o regente de aquário se afastou, tudo o que Rin provavelmente podia ver e sentir agora era a pólvora extremamente negra que havia sido despejada sobre sua cabeça. Como tão do nada? Simples, enquanto ocupava e distraia o mais velho ─ usando apenas uma das mãos e o corpo para para-lo ─ a palma livre tomara conta do balde que havia ali na mesa. Zion não tinha certeza de ser pólvora até o momento em que a jogara contra o virginiano, mas estava feliz por fazer um estrago e tanto na aparência do mesmo.

    O sorriso travesso e as expressões bobas, relaxadas e infantis voltaram ao rosto do aquariano. Por mais que estivesse vermelho com o que fizera antes, não podia deixar de ficar feliz com sua vingança. ─ Uma fez me dissero que para suprender alguém de verdade é preciso suprender duas vezes. ─ Indicou o numero 2 com os dedos de uma das mãos, afastando-se um pouco mais do loiro para apreciar a sua obra. ─ 'cê ficou muto bem assim, sabia? ─ Deixou uma gargalhada alta lhe escapar, antes de começar a rir de forma mais uniforme. Ele certamente pegaria as datas das câmeras instaladas do Haro só para poder fazer uma foto daquele momento e espalhar pela nave, ia ser sensacional. ─ 'cho que 'cê acabo por hohe, né? Que bao, já pode ir emebora... E a prorposoti, não venha me pedir mais conselho ou ajuda, bregado. ─ Por fim, deu as costas para Rin, caminhando tranquilamente para o seu local de trabalho, sentando-se no mesmo com a intenção de reiniciar as manutenções.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 287
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Rin Damien em Dom Abr 27, 2014 6:43 am

    Não esperava que ele acordasse tão cedo. Aquela substância que fora utilizada no café normalmente era usada para fazer pessoas dormirem durante horas, e mesmo que soubesse que Zion era defeituoso com várias coisas, incluindo efeitos de remédios – por possuir uma vaga lembrança de ter dado um calmante a ele – quando o remédio funcionara, imaginou que ao menos teria mais tempo. Mas lá estavam os olhos de Zion o encarando, com uma expressão que nunca vira antes nele; e já achara que vira o aquariano com raiva. Porém, era característica do próprio signo raramente se estressar, e mesmo vendo a irritação alheia, apenas continuou sorrindo, calmo, e respondeu ao questionamento alheio, mesmo sendo segurado pela gola de sua camisa. – Te limpando, o que mais?

    Quando fora empurrado, também soube que provavelmente nem fora ouvido. Ah, é, o garoto era surdo, e o aparelho de audição estava na mesa.  O baque no chão fora o de menos, e se levantara em meio segundo, uma sobrancelha erguida, o pente que antes estava em suas mãos tendo sido deixado no chão. O outro podia não estar totalmente decente, e ainda estava em boa parte molhado, mas ao menos da cabeça pra cima parecia alguém quase digno de se olhar.
    Não reagiu à aproximação, no entanto, mesmo contando a diferença de altura, por nenhum momento Rin se deixava intimidar pela presença do outro, mesmo com aquela raiva incomum que via claramente na reação do mesmo. Não era um exagero, apenas por tê-lo deixado mais decente? Também não poderia competir em questão de força contra Zion, mas mesmo ao ser empurrado contra a mesa, se manteve calmo, se não um pouco cauteloso. O que fez o sorriso vitorioso sumir de sua face foi quando uma mão alheia subiu pelo seu pescoço, e mesmo com toda a racionalização vinda de seu elemento, não pode prever o ato que estava por vir.

    Seu primeiro pensamento foi tire as mãos de mim. O que aquela pessoa suja achava que estava fazendo—até que se lembrou que, tecnicamente, ele não estava mais sujo. Ou não tanto quanto de costume. Mas ainda assim, não era algo que o regente de virgem já tivesse feito antes, e muito menos que quisesse fazer com ele. Sentia o rosto esquentando e os olhos se arregalando em uma expressão muito pouco vista para si. O corpo se enrijecera, e estava prestes para conjurar força de algum lugar e socar Zion para longe se necessário. No entanto, um segundo depois sentia algo caindo sobre sua cabeça, e piscou algumas vezes para impedir uma substância negra de cair em seus olhos.

    Após o regente de aquário se afastar, Rin estava perplexo demais para se mexer, ou emitir qualquer som que fosse. Ouvira as palavras alheias e passou a olhá-lo com mais descrença do que já se encontrava. Quando a situação se revertera, e ele se sujara ao invés do maníaco por máquinas? Por que de todas as coisas para distraí-lo, ele o beijara? Ficou mais tempo que o necessário parado, recuperando sua compostura, enquanto observava o outro sentar-se novamente no chão. Em seguida, se virou, dirigindo-se para a mangueira que usara previamente, ligando-a em um fluxo leve e a apontando para a própria cabeça, como se aquilo pudesse limpar até seus pensamentos. Água era água, mesmo que fosse meio da madrugada, não ligava tanto para se molhar. Água era limpa. Era melhor estar molhado do que sujo. Sim. Respirou fundo até toda a pólvora sair de seus cabelos, antes de olhar novamente para Zion, aparentemente entretido em seu trabalho. Em seguida, fez algo sem pensar duas vezes. – Ei, Zion? – O chamou, o tom alto o suficiente para para ter a certeza que ele ouviria, o sorriso, agora frio, novamente em sua face. Bregado você. Eu não disse que eu terminei. – E apontou a mangueira para ele, girando a válvula para atingir a pressão máxima.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Zionga em Dom Abr 27, 2014 6:07 pm

    Respirou fundo, voltando a por suas mãos nas peças espalhadas. Ainda estava um frustrado com tudo que acontecera, principalmente pela ousadia do virginiano de ir lhe atrapalhar por uma coisa daquelas. Afinal, o aquariano não era desocupado que nem ele, tinha coisas para entregar juntamente com um prazo. Enquanto isso, Rin só precisava cuidar dos feridos. E ele ainda tinha a coragem de reclamar sobre as brigas dos outros, preguiçoso maniaco de merda. Praguejou mentalmente, mexendo com as ferramentas de forma descuidada e brutal. Não sabia mais o que estava fazendo naquele projeto em mãos, só queria se distrair um pouco.

    Bom, pelo menos havia dado o troco. Podia ter sido pior, como o ruivo lhe tacar um monte de graxa. Ah, como teria sido mais legal, uma pena que só tinha pólvora por ali. Pra piorar tudo, Zion finalmente havia se dado conta do seus atos. Como encararia Arthemis agora? Tinha acabado de beijar um cara que não gostava e ainda por cima, aquele foi o seu primeiro beijo. O seu primeiro e tão sagrado e prometido que queria perder com a irmã do melhor amigo. Era um pouco louco a ideia, mas era uma promessa de vida do aquariano, junto com o projeto de criar um corpo para o holograma da menina. Tudo para se vingar, que droga. Rin conseguia mesmo fazer o sempre feliz, bobo e brincalhão do ruivo perder a cabeça.

    Trincou os dentes, colocando mais força enquanto enfiava algumas ferramentas dentro daquela maquina, fazendo um belo estrago na mesma. Não sabia se já havia sido deixado sozinho, não estava escutando bem para ter certeza e não queria levantar o rosto ou tirar os olhos da sua criação ─ não tão mais criação assim. Estava sendo atingido pela vergonha e a culpa.

    Imerso em sua própria frustração e trabalho, não percebera e nem ouvira a mangueira ser religada. Um erro não ter pego seu aparelho auditivo e nem ter checado se Rin havia lhe deixado, mas agora era um pouco tarde para perceber isso. Assim que se virara incrédulo para ver de onde tinha vindo a voz do loiro, só conseguira enxergar água. Seu óculos voou de sua cara, assim como praticamente capotara e rolara pelo chão graças a força máxima daquele jato. Havia se engasgado com o líquido repentino, agora tossia enquanto tentava se ajeitar para conseguir por-se contra a força da água. Que jogo sujo! Como se Zion pudesse reclamar algo sobre isso.

    Seu... ─ Tentou falar algum insulto, mas só o fato de ter aberto a boca havia sido um erro. Engasgou-se mais uma vez, caindo novamente de cara no chão. Porém o regente de aquário não era de desistir, perder e muito menos era fraco. Já havia enfrentado coisas piores que um jatinho de água na sua cara. Levantou-se com dificuldade graças a pressão da água, colocando uma das mãos frente ao corpo, protegendo a face enquanto a outra se prendia ao chão para não tornar se esborrachar.

    Tentava se aproximar do virginiano, mas ele estava um pouco longe e a mangueira não ajudava em nada. Foi assim que Zion tomou posse de uma das máquinas médias que estavam ali e, desviando-se por um momento da água, jogou o objeto contra o loiro. Este se assustando, usando a mangueira para desviar o objeto ou se distraindo mesmo que por pouco já era o suficiente para o que Zion queria.

    Com agilidade, rolou para o lado, saindo da mira alheia. Levantou com decência e correu com tudo para alcançar Rin. Praticamente se jogou em cima do mesmo para que este deixasse a mangueira de lado. Já esperava que os dois fossem direto ao chão, não era nada grande já que era óbvio a diferença de força e tamanho ali. ─ Desgarçado, depois quer falar dos outros não brigarem, olhe para 'cê! ─ Colocou um dos anti-braços contra o ombro e pescoço alheio, forçando-o a permanecer no chão. Colocou as pernas uma em cada lado do corpo menor, ficando assim por cima do virginiano de forma digna. Com a outra mão, tomou posse da mangueira, desligando-a para ajeita-la, pondo-a para outro modo de funcionamento antes de reabri-la virada para a cara de Rin.

    Não era um jato forte, mas certamente o regente de virgem surtaria pelo conteúdo que saia dali. Era um dos combustíveis usados para algumas das naves: um líquido meio grosso e escuro. Quando achou o suficiente, Zion desligou-o, aproximando o rosto do de Rin. ─ Qual o seu fodendo probema? 'chei que fosse mais edulto. E eu falei pra ir emebora, ou 'cê tá surdo? ─ Era idiotice do virginiano comprar briga com o aquariano em seu habitat natural. Estava em desvantagem quando o ruivo conhecia todos os truques do lugar e ainda era mais forte. Ele só podia estar danificado, não podia ser tão burro assim.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 287
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Rin Damien em Dom Abr 27, 2014 7:49 pm

    Estava rindo de um jeito nada agradável enquanto a água da mangueira atingia seu alvo,  e ver um simples jato de água destruir Zion – além de continuar limpando-o – era algo hilário de se ver. Além de surdo, agora ele estava cedo e engasgando. Uma ótima visão, considerando o que acabara de se passar entre os dois. A violência, no entanto, era completamente desnecessária, constatou ao ter que se desviar de uma máquina arremessada em sua direção. Água não era algo particularmente ruim, mas se fosse atingido por alguma das criações do aquariano, certamente deixaria danos.  Criança irresponsável.

    Teve um segundo para se recuperar antes do corpo alheio chocar-se contra o seu, a simples diferença de peso os levando contra o chão, resultando em um impacto que certamente fariam as costas de Rin doerem mais tarde. Agora, no entanto, tinha um problema maior, e isto era um gigante em cima dele, o prendendo contra o chão, argumentando com coisas que chegaram a deixar o virginiano mais irritado do que se encontrara até então, mesmo com todo o ocorrido. Tinha uma diferença entre a briga dos outros e isto. O aquariano realmente não entendia de pessoas, não era? Da magnitude do que os outros faziam quando brigavam.

    Olhava pelo canto do olho para ver o que ocupava a outra mão alheia, não ficando nem um pouco feliz quando deduziu que, o que quer que sairia daquela mangueira após ele alterá-la, não seria melhor que a pólvora. Se fosse só água seria pedir demais. Mas, não, fechou os olhos no segundo que via o líquido escuro de repente vir em sua direção, já sentindo o nojo percorrer seu corpo, junto com certo enjoo. Completamente desnecessário. Usou o joelho para chutar a barriga alheia com força, mesmo que soubesse que não seria o suficiente para tirá-lo de cima, se se conseguisse fazer com que ele parasse, estava ótimo. Quando julgou que finalmente o ataque acabara, usou uma mão para limpar os olhos e conseguir abrí-los, vendo os olhos de Zion extremamente próximos novamente.

    Se sentia extremamente frio, como se estivesse separado do que realmente sentia em relação limpeza, para dar lugar a um exterior calmo, sabendo que quando voltasse ao normal provavelmente tomaria uns dez banhos e se desenfetaria algumas vezes. Encostou a testa na alheia, o encarando com um sorriso que provavelmente mandaria quem quer que fosse fraco o suficiente sair correndo do local. – Olha aqui. Existe uma diferença entre como eles brigam, e isso. Eu estava tentando te limpar. Ter caído em um truque com seu café te machucou, é? Sinto muito. – O sarcasmo era claro nas palavras. - Mas tudo isso é desnecessário, e exagerado. Reação digna de Aquário, não é? Tudo bem. Eu vou embora. Me. Solte. A não ser que planeje me beijar de novo. Nesse caso, você vai ver onde suas máquinas vão parar. - Normalmente não brincaria com algo que absolutamente não queria pensar em, mas a irritação estava ganhando. Agora, se fosse dado a licença, teria o prazer de ir embora dali.
    avatar
    taurusnero
    Touro

    Mensagens : 168
    Data de inscrição : 26/02/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por taurusnero em Dom Abr 27, 2014 9:42 pm

    Dormir era importante, era muito importante. Era algo que estava valorizando muito naqueles dias, e parecia quase uma parte essencial de si. E coisas essenciais para si não poderiam ser arrancadas de forma tão brusca por sons... Altos demais! E tudo culpa daquele corte ridículo de cabelo, não poderia sequer relaxar adequadamente, porque ouvia muito mais do que deveria - também sentia melhor cheiros e chegava a ser insuportável andar descalço por um dia agitado na nave -. Respirou fundo e pensou em esperar passar. Esperou, esperou mais um pouco, e quando enfim não aguentou mais, levantou do jeito que estava, e partiu a passos pesados pelos corredores gelados da nave, a raiva transparecendo na forma como bufava, ou esquecia de puxar o tecido da calça folgada para cima.

    Sua audição já havia identificado os donos da bagunça mesmo antes de chegar ao corredor que dava para a sala que Zion ocupava. Poderia estranhar, claro, mas sua mente estava funcionando com um único propósito, por isso, ao invés de se perguntar porque Rin estava envolvido em alguma espécie de batalha, apenas cruzou a pouca distância que faltava, e escancarou a porta sem sequer permitir-se a gentileza de bater na mesma. Que as gentilezas fossem para as profundezas do inferno, não se acordava um taurino no meio de seu sono... Ou hibernação.

    No entanto, no momento em que seus olhos focaram os corpos "embolados" no chão, de faces tão próximas, e bem após o instante em que escutara os dizeres de Rin, acabou incapaz de reagir de imediato. Bom, eles estavam em um estado absurdo, algo realmente incoerente, como, Zion limpo e molhado e Rin molhado e imundo, o que deixava claro que a situação não estava se desenrolando de forma amigável, mas... Um beijo?! As coisas estavam evoluindo de forma surpreendente naquela nave.

    Apesar dos pensamentos, Nero continuou em um silêncio profundo, fitando aqueles dois com as orbes intimidadoras, mas só pela construção das feições do taurino mesmo, já que não estava sequer com raiva mais. Ou talvez com um pouquinho, mas não o suficiente para alterar sua expressão neutra, e que julgava a situação sem que expusesse a voz. Ainda calado, e ciente de que, muito provavelmente, já incomodava os dois rapazes que se encontravam ali, voltou a caminhar em seus passos pesados, até que pudesse parar ao lado do monte de... Coisa, que eram os dois juntos. Cada uma das mãos foram esticadas, e os alvos foram as partes superiores das vestes alheias. A gola de Zion presa à destra, e a de Rin fime entre os dedos da canhota.

    Ainda sem expressar qualquer sentimento, ou usando a voz, passou a caminhar a passos longos pelos corredores levemente escurecidos graças ao horário avançado, e fazendo uma trilha de óleo e água até que conseguisse chegar ao local de desejo. E, com um sorriso mínimo estampado ao rosto, observou os portões principais da nave se abrirem, antes que jogasse os dois pra fora, sem qualquer respeito pelos companheiros, e adentrasse a estrutura para acionar um dos botões que havia no painel ao lado, um que trancava a porta em caso de emergência. Satisfeito, bateu uma mão na outra e caminhou tranquilamente para seu quarto.

    Paz afinal.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Zionga em Dom Abr 27, 2014 10:51 pm

    Não era para o virginiano ter aquela reação, não era para ele se aproximar, não estava preparado para essa programação inesperada. A expressão firme que antes ocupava o rosto do aquariano se desfez, dando lugar momentaneamente para o de surpresa ─ este que não durou muito. Sentia tudo, menos medo por aquele sorriso horrível que não servia para demonstrar felicidade. Na verdade Zion detestava aquele tipo de sorriso. Se fosse para sorrir assim, era melhor fazer que nem Harold e não sorrir.

    Um calafrio percorreu por toda extensão de seu grande corpo quando o outro regente punha-se a falar. Endureceu sua expressão de desgosto e raiva enquanto sentia o ar quente vindo do hálito alheio lhe tocar a face. Que nojo, estava respirando o mesmo ar que Rin praticamente. Tentou grudar o outro contra o chão novamente, lhe afastar, mas estranhamente lhe faltou força enquanto seus olhos se fixavam nos não pertencentes. Que maldito bug era aquele do nada? Por que seu corpo não respondia a suas vontades? Uma onda de frustração tomou conta do regente de aquário, principalmente quando o virginiano falara daquela forma sobre o beijo.

    Seu rosto estava quente, mas não sabia mais por qual dos muitos sentimentos. Certamente estava vermelho e esperava que fosse de raiva e não de vergonha. ─ Tsc... ─ Desviou a visão de sobre os olhos azuis de Rin, retirando a mão que até então ainda permanecia junto ao corpo do mais velho. Entretanto quando iria se levantar, respirar fundo e preparar-se para chutar o virginiano para fora dali fora pego de surpresa pela camisa, sendo retirado a força de sobre o outro.

    Mais que porra! ─ Praguejou em alto e bom tom antes de perceber que havia sido culpa do regente de touro. Ah, ele sempre salvando o virginiano, por quê? E espere, a quanto tempo ele estava ali? Será que... Não podia ser. O rosto do ruivo definitivamente se enrubesceu de pura vergonha sobre seu ser. Porém, para não deixar visível que era por tal motivo, manteve as feições irritadiças em seu rosto. ─ Me solta, caralho! O culpado disso tudo é ele, esse merda! ─ Continuava a falar aos berros enquanto era arrastado pela nave, por mais tentasse não ser arrastado. Ainda lhe faltava forças, provavelmente por causa do erro que o deixava vermelho.

    E então, jogados e trancados para fora da nave. Que maravilha. Não bastava ter dormido já pelo mês inteiro, agora ele não podia trabalhar naquela madrugada. Socou a porta com toda a força que conseguiu reunir enquanto mordia o lábio inferior. Maldita conspiração, precisava fazer uma revolução dentro daquela nave para todos aprenderem que não deviam atrapalhar a vida alheia! Tudo culpa dele. Virou-se para Rin pela primeira vez desde que foram pegos por Nero, a raiva ainda lhe consumindo. ─ Isso é tudo culpa sua! Eu vou levar brinca de Abel por sua causa! A GENTE PODE MORRER POR SUA CAUSA, SATEFETO? ─ Aproximou-se do virginiano apenas para empurra-lo mais uma vez e nada além. ─ Espero que esse komboestiveu não saia nunca da sua pele, que entre no seu cebero e pregnere ele com sujeira... Ah, não... 'quesci que ele já é soju, por isso você é escroto e tem essa mania filha da puta de limpar tudo e trestragar a vida de todo mundo. Parabains! ─ Bateu algumas palminhas para o loiro de forma bem irônica que chegava a ser idiota.

    Após isso ele apenas virou as costas para o virginiano e se afastara, indo sentar em algum canto ali próximo da porta trancada. Nem ouvir direito ele podia, muito menos montar alguma coisa quando estava tudo molhado. Porém ainda tinha algumas peças em seus bolsos e por mais que não conseguisse montar nada que funcionasse, poderia ficar brincando com elas. Assim, as tirou e começou a montar alguma coisa com os pedaços de metais que tinha posse. Estava irritado ainda, frustrado e acima de tudo, triste por não poder fazer nada que realmente gostava e se importava naquela noite.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 287
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Rin Damien em Dom Abr 27, 2014 11:46 pm

    Sentia uma grande vontade de rir ao observar as reações alheias tão de perto, ainda em um estado de raiva que não o deixava pensar direito em sua situação, ou na sujeira. Por toda sua racionalidade e habilidade de cura, queria que Zion inventasse algo para se explodir junto de suas maquinas naquele momento. Esperava pacientemente ele se levantar para poder sair de lá, o que estava demorando tempo demais. Por que não ia de uma vez? Quando ele finalmente saíra, fora por uma razão completamente inesperada. Sentiu sua irritação se amenizar em um instante, vendo Nero ali, tendo presenciado aquela cena. Desnecessário. Porém, uma ajuda útil, visto que ele havia pego o aquariano pela gola da camisa—espere, por que ele estava sendo pego, também?

    Não reagiu ao ser arrastado pela nave, ao contrário do ruivo. Certo que queria ir para o seu quarto e poder tomar alguns banhos, mas não teria nenhuma reação exagerada, não mais, prometeu a si mesmo. Por que alguém tão retardado o fazia descer àquele nível?  Talvez fosse justamente por isso. O mais novo tinha parafusos a menos na cabeça. Provavelmente os usara em suas invenções.

    Voltara à realidade ao ser jogado para o lado de fora, e respirou fundo, se levantando e inutilmente tentando espanar sujeira de suas roupas, tentando não sujar as mãos com o combustível que sentia grudar em cada parte de seu corpo. Argh. Voltou a olhar para Zion ao ouvir um som metálico denunciando que a porta fora socada, o que significava que provavelmente estava trancada. Certo, pelo taurino estar acordado de madrugada, imaginara que não gostara de ser acordado, então este seria o castigo. Sorriu novamente ao ver Zion se aproximando, pelas palavras absurdas que ele dissera. Morrer por causa dele? Ele não sabia que tipo de poderes ele tinha? Além de que no máximo pegariam um resfriado do lado de fora. Porém, uma lembrança de muito tempo atrás surgiu em sua mente, algo que preferia não se recordar. A morte de sua mãe. Balançou a cabeça para espantar o pensamento, aquela sendo a última situação que se permitiria pensar em algo que o afetasse. Uma ótima distração fora ser empurrado novamente, e não conteu um suspiro de frustração. – Você devia aprender a controlar seus impulsos, hein, criança? – Resmungou, se equilibrando.

    Uma sobrancelha se levantou ao ver que aquela criatura continuara a falar. Deus. Normalmente conseguia entende-lo, mesmo com os erros, mas agora parecia quase impossível. Talvez fosse cansaço, talvez fosse a raiva alheia embolando ainda mais as palavras. Entendeu, no entanto, a última coisa. Primeiro, que nunca havia sido xingado tanto em sua vida. Segundo, a mania de estragar a vida de todo mundo. Ah, claro. Estragar, não salvar milhões de vidas naquela nave quando algo ruim acontecia. O aquariano tinha um complexo de achar que fazia mais do que os outros, e que por isso, era melhor? Fizesse um favor, e ficasse mesmo no canto dele, mexendo com os brinquedos. A área pra os adultos era outra.

    Respirou fundo mais algumas vezes, tentando conter a irritação novamente. Agora, ao ar livre dos portões, parecia mais fácil. Também lembrou-se de algo que o animou, ainda que minimamente. Podia estar sujo, mas seu plano funcionara. Zion estava com raiva, porém, mais limpo do que jamais o vira. Se aproximou alguns passos da figura sentada, cruzando os braços e falando alto o suficiente para ser ouvido, em um tom neutro, para não demonstrar nenhuma reação. Decidiu fazer a última boa ação da noite. – Olhe. Existem outras portas pela nave. Eu vou dar a volta. Fique aí se quiser. – E se virou, saindo calmamente para caminhar pelo caminho ao redor da nave, que eventualmente o levaria a outra entrada.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Zionga em Seg Abr 28, 2014 10:27 am

    Fora só começar a se focar realmente no seu trabalho manual que desligou-se da desgraça e bagunça qual eram seus pensamentos constantes ─ principalmente em momentos como aqueles. O que era uma coisa boa, já que assim conseguia se acalmar um pouco ─ por mais que mantinha a expressão fechada nada comum.

    Uma vez que não conseguia mais enxergar bem pela falta do óculos, tinha que aproximar as placas de metal que juntava para próximo ao rosto, cortando-lhe a possível visão que tinha de Rin. Outro fator bom, não ver o outro lhe dava paz novamente. Montava o que quer que fosse aquela pseudo obra de arte com paciência e concentração, aos poucos relaxando. Não entendia o motivo do virginiano lhe deixar mais impulsivo que o normal, fazendo-o se assemelhar com um dos líderes. De acordo com relatos de Harold, quem agia daquela forma qual o ruivo havia sido momentos antes era Heike. Zion não era assim normalmente, raramente mudava seu humor divertido, menos ainda comprava uma briga e pra piorar, não saia beijando qualquer um só por vingança.

    Sequer pensou em desviar o olhar do seu pequeno projeto, mesmo quando o outro regente lhe dirigiu as palavras. Deu de ombros. ─ Que seja. ─ Não tinha animação na sua resposta, mas também lhe faltava todos os outros sentimentos que poderia passar, permanecendo apenas com a indiferença. Apenas continuou com o que fazia, passando a cortar alguns detalhes do metal com uma das ferramentas modernas que carregava. Certamente o único objeto ali que ainda funcionava, por já ser completo.

    Permaneceu ali por mais algum tempo após a retirada do virginiano. Sua intenção inicialmente era fazer um cálculo mental para só se retirar quando tinha certeza do outro já estar bem longe e dentro da nave. Porém, quando olhou para o céu após terminar o seu trabalho ─ que só piorou o ânimo do aquariano quando este percebeu o que era ─ decidira permanecer mais um pouco ali. O céu começava a clarear e não sabia a quanto tempo não via o sol nascer. A última vez tinha sido exatamente a última vez que sonhara, antes de ser pego por sua mãe e Harold.

    Levantou-se do chão, guardando a sua arte de sucata no bolso. Respirou fundo e permitiu-se sentir a brisa de ar que a área continha. Tudo havia mudado em tão pouco tempo que nem mesmo Zion havia percebido que também tinha mudado nesse meio tempo. Afinal, era um humano também, logo mudava e se tornava incompreensível como eles, por mais que o garoto não gostasse do fato. Observou embaçadamente o céu clarear totalmente enquanto o sol se punha ao alto do mesmo e então, finalmente deixou o lugar.

    Após entrar novamente na nave, pela primeira vez desde que ali passara a ser seu lar, pensou primeiramente em ir para o quarto e não para a sua sala de trabalho. Não queria voltar lá hoje e provavelmente nem tão cedo. E assim, fora para o quarto. Nem lembrava direito onde este era, tendo que consultar o mapa dos corredores para finalmente conseguir chegar.

    Uma vez lá dentro, trocou as roupas ainda molhadas por uma nova e seca. Iria jogar video-game até não poder mais naquele dia e talvez no próximo também. Mas antes disso, tinha que dar um fim naquela sua arte feita instantes antes. Respirou fundo, tomando com uma das mãos a flor de metal ao que digitava algumas coisas no computador. Abriu a parte de teletransporte de seu quarto, colocando o objeto ali dentro para então vê-lo desaparecer assim que apartara o "ok". Esperava que Arthemis gostasse, porque ele mesmo não havia. Mas que seja, agora era hora de se distrair um pouco com um bom jogo.

    Conteúdo patrocinado

    Re: [#02] Turno Livre – Área de Criação e Reparos

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Jun 27, 2017 8:19 am