Fórum RPG somente para jogadores dentro o grupo. Caso tenta interesse em entrar, entre em contato com a administração.


    [#05] Treinamento / Update — HEIKE

    Compartilhe
    avatar
    Heike_Walker
    Áries

    Mensagens : 172
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Localização : Na casa do caralho

    [#05] Treinamento / Update — HEIKE

    Mensagem por Heike_Walker em Seg Set 01, 2014 12:27 am

    Treinamento focado em: Heike Walker.
    Personagens coadjuvantes: -
    Local: Área de risco.
    Mestre: -

    -

    Estar sozinho na estrada a toda velocidade em cima de sua moto trazia a Heike um sentimento estranho no peito, uma excitação infantil e um prazer viciante que o faziam querer abrir os braços e gritar em puro deleite.

    A sensação de liberdade que o silêncio do local isolado e o vento forte atingindo-lhe o corpo, somado ao calor abafado do sol forte lhe queimando a tez clara lhe traziam arrepios como pequenos choques percorrendo a pele e uma felicidade indescritível que a muito tempo não sentia. Toda aquela adrenalina agindo em seu sistema nervoso ativavam milhares de reações químicas no corpo, liberando serotonina, dopamina, endorfina e diversos outros hormônios que só estimulavam ainda mais sua animação. Estar livre assim era tão bom quanto transar a noite inteira sem parar. Rindo desenfreado, acelerou o veículo ainda mais. Para quem visse, o rapaz não passaria de um vulto que sumiria da vista em menos que segundos.

    Naquela estrada deserta parecia até que poderia esquecer todas as suas frustrações, todos os seus problemas e todas as suas preocupações. Tinha a impressão de que poderia enfrentar tudo o que viesse, se sentia superior, se sentia poderoso. Nada relacionado ao passado poderia o afetar naquele momento. Se soubesse que a vida livre o faria tão bem, com certeza absoluta teria saído em viagem antes.

    Like a Star @ heaven

    Havia treinado duramente com Tae e Ren por semanas não só a parte física, mas também e principalmente a parte espiritual. Heike não tinha o costume de se abrir com ninguém, mas nos últimos dias ficara exposto como nunca diante Tae.

    Já fora tortura o suficiente durante as intermináveis sessões de terapia com Rin, mas com o moreno mais velho fora infinitamente pior. Além de ter que se expor obrigatoriamente da forma mais intima e de compartilhar todos pensamentos e sentimentos que nunca havia verbalizado com ninguém, ainda fora levado a seu limite e extremo com provocações muito piores das que passara com Harold. O ponto era ver até onde o ariano era capaz de aguentar, era ver se ainda existia força de vontade em sua alma, era ver do que ele sozinho era capaz. Os últimos dias foram uma provação e tanto, e se tinha um lado bom naquilo tudo era que não havia mais ninguém ali além do sagitariano e do geminiano para julgá-lo. Não havia ninguém para o ver com pena ou medo, não tinha ninguém lhe cobrando nada, não precisava ser forte, não precisava manter a pose. Ali sozinho com os dois não decepcionaria ninguém e certamente não os machucaria, já que em toda sessão Ren estava presente para controlar a situação caso fosse preciso e Heike agradeceria eternamente por isso. Os laços com o ruivo que foram se perdendo ao longo do tempo pelas obrigações havia voltado com força total, se não mais ainda do que antes. O regente de sagitário poderia ser um imbecil, mas ainda era a única pessoa que poderia considerar como família, a única pessoa que poderia confiar completamente. E sinceramente, Heike não saberia dizer se ia suportar aqueles dias sem o ruivo ao seu lado fazendo piadinhas idiotas e o distraindo de toda aquela tensão, ainda que fosse mais por impaciência e irritação do que diversão.

    Apenas tê-lo por perto já era o suficiente.

    Toda noite treinava com Ren na natureza que cercava a morada de Tae, focando principalmente em melhorar sua velocidade e agilidade perante as adversidades de terreno e aos truques do sagitário, inicialmente o foco era Heike. O treinamento de Ren viria em algum momento que o ariano não saberia dizer qual era. Lutava com o geminiano também, desta vez focado mais na força física e resistência, já que ele era tão grande quanto Nero.

    E todo início de manhã antes mesmo do sol aparecer era obrigado a meditar por horas a fio. Não só durante as manhãs, mas por todo o dia, durante as refeições, durante os poucos minutos livre que tinha, enquanto treinava com os homens mais velhos, enquanto lutava contra aquela energia negra que novamente começava a destruí-lo como uma infecção que o consumia por dentro pouco a pouco. Ainda que toda noite após treinar até a exaustão, não foram poucas as vezes que ouvira antes de cair no sono Tae conversar com Ren sobre seu estado, suas preocupações sobre como não avançavam, sobre como Heike não conseguia evoluir espiritualmente mesmo depois de tanto tempo. Já estava em plena forma, sua saúde de ferro havia voltado ao normal, assim como sua saúde mental. Estava muito mais forte do que antes e mesmo mais maduro depois de tudo que havia passado, mas aquela energia obscura dentro de si mesmo era algo que não estava conseguindo lidar.

    Na realidade, parecia piorar a cada dia. Toda tarde Ren tinha que intervir para que não acabasse matando o geminiano e o resultado era um ariano fraco e desanimado. Depois das primeiras vezes que falhara, foi por pouco que não desistira. Mas Nero, com quem ainda falava vez ou outra, havia sido uma parte importante para que isso não ocorresse. Apesar da distância, depois dos últimos eventos os dois estavam ligeiramente mais íntimos e só o pensamento de que não queria nunca mais machucar o taurino ou decepcioná-lo não sendo forte o suficiente faziam o ariano voltar no outro dia para Tae ainda mais disposto a conseguir se superar.

    Admirável, mas inútil.

    Sua aparência voltava aos poucos a ser modificada e mesmo que não perdesse o controle mais, passava horas a fio lutando para que isso não acontecesse. A energia de áries, mesmo que enfraquecida em seu corpo, lutava com aquela natural a si e isso o levava a exaustão pouco a pouco. Certo dia depois de uma péssima sessão com o geminiano, Heike ficou cerca de uma dúzia de horas perdido dentro de si mesmo lutando para que não fosse dominado, até que quando deu por si estava caído em cima de uma poça do próprio sangue que havia vomitado, com Ren sacudindo-o em desespero.

    Tais coisas o frustravam, é claro, mas não iria desistir, nem que isso custasse sua própria vida. E talvez já estivesse pensando que tal coisa fosse realmente acontecer quando numa manhã Tae interrompeu sua meditação com uma informação nova e interessante demais para que não desse atenção. Com toda a preocupação que tinha sobre o estado de Heike, o negro começara a pesquisar em sua biblioteca escrituras antigas para ver se descobria alguma informação que fosse útil para eles. Tinha achado documentos relacionados aos primeiros regentes dos signos. Documentos importantes, ainda que confusos e danificados pelo tempo. Algo sobre reforçar a conexão do regente com a constelação, teorias incertas e duvidosas, mas que pareciam ser cada vez mais a última opção para o ariano. Além disso o homem tinha feito uma consideração tão absurda que poderia ser verdadeira... Naquela conversa, com um ar sério e direto Tae revelou que achava que havia uma probabilidade muito grande de Heike ser filho de Kain. Além da aparência física semelhante, havia aquela energia desconhecida e maligna que tomava conta de seu corpo.

    Era de se esperar que o ariano fosse ficar louco com aquilo, irado, ofendido ou revoltado. Na melhor das hipóteses, riria com o absurdo da constatação. Porém, contrariando todas as expectativas do homem mais velho Heike apenas piscou de um jeito meio aturdido e franziu o cenho ao desviar o olhar para o chão, pensativo, pedindo para ficar sozinho em seguida. Não se passou nem meia hora para que o geminiano e o sagitariano, ambos tomando um chá na varanda, escutassem um barulho alto e em seguida uma arvore no bosque caindo ao longe. Após aquele pequeno momento em que descontou toda a raiva de uma vez naquela pobre vida vegetal, o jovem teve uma longa e séria conversa com Ren, que acabou se mostrando inútil já que ele realmente não sabia de nada. Se alguém sabia de alguma coisa provavelmente eram Abel e seu avô, mas no momento seria impossível descobrir as respostas que queria. Tinha coisas mais importantes para resolver.

    Dessa forma seu destino fora confiado a suas próprias mãos em uma viagem longa e penosa para um destino que nem sabia se de fato existia. Ren, apesar de desejar não poderia ir junto. Precisava iniciar seu próprio treinamento com urgência, afinal Kain ficava mais forte a cada dia e a situação na Nave Principal, apesar de estar sob uma ótima liderança de Nero e Rin, não parecia muito boa. Cada segundo contava e ambos os regentes precisavam voltar o quanto antes.

    Assim iniciou sua viagem com aquela centelha de preocupação que ninguém poderia tirar de si.

    Tinha passado por diversas cidades, tribos, vilarejos, vira muita coisa e muitas pessoas. Como nesse tempo não estava treinando, quase não precisava se preocupar com as energias que buscavam espaço dentro de seu corpo, mas a conselho de Tae continuava com as meditações sempre que possível, principalmente durante as longas e vazias estradas. Para alguém como Heike, impulsivo e agressivo por natureza, aquela era uma parte fundamental de seu treinamento que contribuía e muito para que aprendesse a se controlar sem a intervenção de outras pessoas.

    Durante o caminho fora atacado algumas vezes por criaturas selvagens, mas nada que não conseguisse lidar sem o menor esforço. Já estava a dias a toda velocidade em cima de sua moto, que felizmente era movida a energia solar, e sinceramente ainda não tinha muita ideia de onde deveria ir. Nos documentos e livros haviam várias menções sobre as áreas de risco, então decidiu seguir para a escolha mais óbvia, rumando em direção a uma região no extremo norte onde a luz do sol raramente chegava. Segundo alguns estudos, lá era um dos únicos locais em que a constelação de áries poderia ser vista a olho nu perfeitamente e tinha quase certeza de que as pedras vermelhas em sua armadura que faziam a conexão entre as energias foram tiradas dali. Era um lugar completamente desabitado, sem vegetação ou animais. Supostamente seria frio, mas havia tanta atividade vulcânica que esta dissipava toda a baixa temperatura e deixava o ambiente quente e terrivelmente abafado. Rios de lava eram visíveis sobre a superfície e o chão era formado apenas por rochas negras. O céu era avermelhado pela fumaça e se o ariano não tivesse usando uma máscara que filtrava o pouco ar respirável que tinha ali, provavelmente teria desmaiado em poucos minutos.

    Segundo o moreno Heike deveria manter a pedra que havia ganhado assim que se tornou regente em mãos, pois ela indicaria o melhor lugar. Melhor lugar para quê? O mais engraçado de tudo, pensava, é que não tinha a menor idéia do que aconteceria. Tae havia falado sobre espíritos e energias, sobre sentir e se abrir e mais um monte de coisas que não faziam muito sentido para o ariano que se mantinha cético para esse tipo de coisa, então mantinha em mente apenas encontrar algum lugar mais propício e meditar. Ficaria ali até que não aguentasse mais e se nada acontecesse... Bem, ninguém poderia dizer que não tentou e sempre poderia colocar a culpa naquele preto velho.

    Vagou por horas a fio incomodado com aquele calor agressivo sem sentir nada de diferente vindo da gema avermelhada que segurava e quando já se sentia exausto subiu no pico mais alto que era livre de magma, sentou-se sobre uma parte lisa e suspirou pesado. As incertezas eram infinitas, mas não poderia voltar agora... Em vez de deixar-se abalar com pensamentos negativos e contraprodutivos, Heike fechou os olhos e se colocou a tentar meditar. Ajeitou-se na posição certa e relaxou, usando os ensinamentos de Abel de tantos anos atrás para esvaziar a cabeça de todo e qualquer pensamento e começou a recitar os mantras. O objetivo era liberar mente e alma, perceber o ambiente ao redor sem ver, abrir os chakras sob-ativos e sentir as energias e vibrações do universo se misturando com ele, forçar a própria existência para fora do corpo e permitir que ela se misturasse com a matéria da vida.

    Em teoria, sabia perfeitamente o que deveria fazer, mas não algo exatamente fácil.

    Até conseguir limpar a mente completamente tanto de todas as coisas negativas quanto as positivas, Heike se frustrou várias vezes. Vinha treinando dias a fio a ter paciência e perseverança, ainda que fosse totalmente difícil. Não saberia dizer quanto tempo se passou desde que começara a meditar, se foram horas, dias ou semanas, ou se foram apenas minutos, era impossível definir, mas de fato começou a se sentir diferente. O corpo havia começado a formigar e aos poucos foi deixando de sentir a sensação de estar ali, deixando de sentir qualquer coisa pelo tato ao mesmo tempo em que sua consciência parecia expandir mais e mais a cada segundo. Porém quando achou que estava fazendo algum progresso, lembrou-se de repente do homem que vira em meio as visões que tivera antes de perder o controle do próprio corpo.

    Sem conseguir controlar a linha de pensamentos, relacionou aquela pessoa a Kain e por um momento tudo fez sentido. Estava sendo controlado então? Não passava disso, uma marionete? Ou então não passava de um monstro como seu suposto pai? Imaginou o escorpiano estuprando a sua mãe e se perguntou se era algo proposital, se havia um motivo especial para ele fazer o que fez com a filha do líder dos regentes, ou se fora apenas por maldade ou provocação.. Tinha sido criado por algum motivo? Não era de se surpreender que sua mãe o odiava.. Será que seu avô sabia de sua origem? Não tinha sido uma boa ideia Tae revelar aquilo quando estava prestes a fazer algo tão importante, que necessitava concentração. E mesmo que aquelas fossem questões recorrentes nos últimos dias, estava muito confuso para evitá-las. Sentia-se traído e usado de certa forma.

    Não tinha certeza de mais nada. Quem Heike era? E por que estava ali? Qual era o motivo da própria existência?

    Ainda que de olhos fechados o ariano sentiu a pedra em mãos esquentar cada vez mais a medida que pensava em tais coisas, até que uma claridade muito forte a sua frente fez com que finalmente abrisse os olhos. A sua frente algo inacreditável acontecia: As nuvens pretas e avermelhadas formadas pela fumaça que toda aquela lava produzia começaram a se mover de forma estranha no céu, com uma luz forte brilhando por trás destas. Alarmado, o ariano levantou-se rapidamente, mas não conseguiu fazer nada além de fitar aquilo de um jeito admirado. O fenômeno continuou por um momento até que as nuvens se abrissem e o céu e o universo ficassem visíveis, uma visão espetacular com tantas estrelas reluzindo a sua frente. Porém, mais que todas elas a constelação de áries estava visível e enorme bem ao centro, marcando presença no céu de uma forma que parecia pulsar numa energia forte e quente, como se o chamasse.

    Ao mesmo tempo, a gema vermelha em sua mão ficou quente ao ponto de se tornar insuportável, fazendo o ariano desviar o olhar por um momento para esta, sem soltá-la. O que diabos estava acontecendo?

    Heike.

    Ouviu algo lhe chamar, ou sentiu, não tinha certeza, então olhou novamente para a constelação. Da mesma forma que a energia negra que tinha no corpo havia se tornado visível quando fora possuído, agora uma energia vermelha tremulava a sua frente, movendo-se pelo céu de um modo transparente e suave até que pasmem, teve de piscar alguma vezes para ter a certeza de que via aquilo tomar a forma de um carneiro gigante. A constelação e as estrelas ainda eram visíveis por trás daquilo e as nuvens atravessavam suas pernas, mas a forma do animal era completamente perceptível.  

    Heike.

    Novamente aquilo. Não havia voz alguma, mas aquela forma espiritual encarava diretamente a si e parecia lhe chamar de alguma maneira. Não parecia nem um pouco normal ou real o que estava acontecendo ali. Será que havia desmaiado e estava sonhando? Não tinha como saber. Parado ali, por mais inacreditável que fosse entendeu que a aparição de alguma forma era a energia de áries, de sua constelação. Entendeu que seu poder vinha daquela força a sua frente. Sentia isso com toda a certeza em cada poro de seu corpo.

    Lembre-se de quem VOCÊ é, Heike Walker. Filho do escorpiano Kain Grimbald e neto do ariano Ryotaro Gunnhild, você tem a força de vontade de seu pai e a sabedoria de seu avô, ambos excelentes guerreiros e verdadeiros líderes independente de suas índoles.


    As palavras retumbavam com tamanha força em sua alma, afetando o jovem de tal maneira que seu corpo tremia e silenciosas lágrimas escorriam de seus olhos involuntariamente. Longos minutos de silêncio se passaram até que Heike reagisse.

    ... Quem.. eu sou...!? Eu sou um FRACO. SOU UMA ABERRAÇÃO, UM AMALDIÇOADO! MEU AVÔ ESTÁ MORTO E MEU PAI NÃO PASSA DE UM ASSASSINO CRUEL, UM TRAIDOR. Heike teve a audácia de gritar para a projeção astral da constelação, puxando a máscara do rosto para ter mais liberdade. A íra em seu peito era tamanha que não conseguia se segurar e as lágrimas lhe deixavam a vista turva. EU QUERO FAZER O MELHOR, MAS NÃO POSSO MUDAR O FATO DE QUE SOU UM MONSTRO COMO O MEU PAI! EU NÃO TENHO A FORÇA NECESSÁRIA PARA LUTAR CONTRA ISSO, EU DECEPCIONEI E FERI MEUS COMPANHEIROS, NÃO SOU LÍDER DE PORCARIA NENHUMA ENTÃO VAI SE FERRAR! DESDE QUE NASCI NÃO TENHO LUGAR NESSE MUNDO! FUI INDESEJADO, USADO, FUI AGREDIDO, FUI TEMIDO E TUDO QUE SEMPRE CONSIDEREI MEU PORTO SEGURO E MEU LAR, DESCOBRI QUE PROVAVELMENTE NÃO PASSA DE UMA MENTIRA PARA AS OUTRAS PESSOAS CONSEGUIREM O QUE QUEREM...!

    Com a respiração cortada em pesados ofegos o ariano encarava o espírito em seus olhos brilhantes com toda a raiva que havia acumulado no peito por todo esse tempo. Estava cansado. Ariano como era não admitia tais injustiças e o fato de não poder fazer absolutamente nada minava suas forças pouco a pouco.

    Áries, por sua vez, apenas semicerrou os olhos e encarou o rapaz como se achasse divertida a situação. Ainda que de tão jovem alma, não se subestime, ariano Heike Walker. Você caminha com seus próprios pés e tem a força necessária para ditar o próprio destino.

    ...NÃO! EU NÃO TENHO! MEU CORPO É UM CASULO PARA E ENERGIA OBSCURA DE KAIN, FEITA DE ÓDIO E RANCOR! NEM A SUA PRÓPRIA ENERGIA É CAPAZ DE SUPERAR ISSO!

    Tal réplica em meio a um quase desespero fizeram os olhos do espírito brilharem com a força de um sol, então se aproximou do humano, deslizando e abaixando sua enorme cabeça até ficarem frente a frente. Você é o meu escolhido, humano. Eu acredito na força que existe dentro de você. Então o espírito da constelação fechou os olhos e se aproximou ainda mais, tocando o focinho gigantesco no peito de Heike que imóvel pelo nervosismo não pôde fazer nada além gritar quando uma dor alucinante tomou conta de seu corpo, parecendo queimá-lo por dentro pouco a pouco subindo até a mente. Não poderia ver, mas seu corpo inteiro brilhava, tornando impossível reconhecê-lo em meio a tal clarão.

    Sem forças para se aguentar com aquilo acabou indo de encontro ao chão a medida que o espírito voltava a posição inicial, fitando-o de forma crítica. A pedra que antes estava na mão do jovem agora permanecia cravada bem no meio de seu peito, visível e brilhante sobre a pele onde antes existia sua tatuagem do símbolo de áries. Ela agora fazia parte de seu corpo, assim como sua carne e seus ossos. Nós agora estamos em perfeita sincronia, jovem alma, o seu poder é o meu, assim como o meu é o seu. Seguiremos adiante dividindo a mesma energia, mas cabe a ti a sabedoria e capacidade de utilizá-la. Sua energia negra de nascença faz parte do que você é e do que sempre vai ser, mas agora possui minha força direta para superá-la e aprender a fazer uso dela. Não negue sua própria existência.

    Ofegante e ainda sentindo o corpo inteiro doer, Heike abriu os olhos a tempo de ver a imagem do carneiro começar a desaparecer.

    Cresça, Heike Walker, e torne-se o verdadeiro líder que está destinado a ser.

    Like a Star @ heaven

    Não se lembrava de ter apagado, mas acordou com o corpo completamente dolorido horas mais tarde. Suas roupas estavam rasgadas e para sua surpresa a pedra da constelação estava fincada em seu peito. Aquele ponto em específico não doía realmente, então tocou-a delicado e hesitante em relação ao que aquilo significava. Ela estava completamente presa e parecia ligada a pele como se fizesse parte do próprio corpo.

    Estranho.. Foi o que conseguiu pensar, franzindo o cenho sem tentar tirar aquilo dali. Veria o que era quando voltasse para a casa de Tae. Se pudesse se enxergar, certamente o ariano ficaria ainda mais chocado ao notar que seus fios agora estavam tão claros quanto os de sua mãe e de seu avô costumavam ser.

    Assim, levantou-se com dificuldade e suspirou, coçando o olho que ainda enxergava. Lembrava-se claramente de tudo o que havia acontecido e apesar de parecer improvável que não fosse um mero sonho, a pedra era prova suficiente de que foi real. Não sabia se algo de fato tinha mudado ou o que tudo aquilo significava, mas conversaria com Tae sobre e com sorte descobririam algo.

    Ajeitando a própria máscara e olhando pro céu que voltara a fica coberto com nuvens por alguns minutos, Heike suspirou e começou a descer o morro em busca de sua moto, sequer notando que não mais sentia o calor abafado e insuportável do local.

    A viagem seria longa, mas pelo menos tivera algum progresso.

      Data/hora atual: Sab Dez 16, 2017 7:46 am