Fórum RPG somente para jogadores dentro o grupo. Caso tenta interesse em entrar, entre em contato com a administração.


    [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Compartilhe
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Zionga em Sab Jan 31, 2015 9:50 pm

    Não era incomum para os irmãos marcarem de saírem juntos para alguma coisa. Afinal, a faixa etária deles era bem próximas e desde pequenos sempre foram muito próximos. Então não estranhou nem um pouco quando Harold lhe chamara para ir comprar algumas coisas, já que de acordo com ele, precisava de umas calças novas. Zion apenas aceitou, concordando e acrescentando que podiam fazer outra coisa depois e até mesmo aproveitaria pra comprar alguns jogos novos. O que não sabia, entretanto, era que tudo não passava de uma armação do mais velho.

    Havia alguns dias que havia descoberto que seria chutado pelo seu amor de anos, no caso, Arthemis. Chegou até mesmo a comentar com o albino sobre o ocorrido e junto a isso, afastou-se um pouco da mais velha, com medo de que ela lhe rejeitasse realmente. Passava a maior parte dos seus dias trancado no quarto, trabalhando em projetos novos, jogando vídeo-game ou estudando. O resto, passava indo para a faculdade e ficando lá o máximo que podia, para não precisar voltar pra casa. Estava evitando claramente a abertura para encontrar-se com Arthemis e passar um tempo com a mesma. Abertura essa que havia acabado de ser criada graças a Harold e seus malditos planos.

    Estava tomando um café numa das cafeteria do centro comercial da cidade, onde havia marcado com o irmão de se encontrar quando percebera que tudo aquilo não passava de uma armação do mesmo. Quase engasgou-se com o café quando viu Arthemis do lado de fora, aproximando-se cada vez mais do local e entrando no mesmo. Observou quieto no fim do balcão a mais velha dos Wilhelm aparentemente procurar por alguém — bem provavelmente o seu irmão de sangue e talvez até mesmo a si — e finalmente encontrar-lhe ali. Desviou o olhar quando tiveram um contato visual direto, bebendo mais do café para fazer de conta que não havia lhe visto, mas parecia que não funcionaria. Então sorriu para a mulher enquanto via-a se aproximar. Então aquele era o novo estilo de compras de Harold, muito engraçadinho. Iria dar umas boas porradas no rapaz depois por lhe fazer de idiota. Afinal, contava as coisas justamente para que lhe ajudasse, e não para que brincasse com ele de tal forma. Mas, era de seu irmão que estava pensando. Não podia esperar menos.
    avatar
    Arthemis W.
    NPC

    Mensagens : 53
    Data de inscrição : 10/12/2014
    Localização : Na cova

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Arthemis W. em Dom Fev 01, 2015 12:48 am

    Não estava se sentindo bem durante dias. Aquilo não estava atrapalhando o rendimento de seus estudos, mas estava deixando-a cada vez mais indisposta. As quedas de pressão eram controladas, mas Arthemis estava com um sono constante que não conseguia controlar, embora não abalasse sua concentração. Insônia adentrou no seu pacote de problemas e graças a sua falta de costume em se maquiar, não tinha os utensílios necessários pra disfarçar ao menos um pouco seu semblante abatido. Até que esbarrara com Harold aleatoriamente na cozinha principal da mansão, recebendo um olhar desaprovador e um “Vai cuidar dessa cara, coisa distorcida”. Se fosse se importar com cada ofensa que levava do mais novo, provavelmente já teria cometido suicídio. Mas sabia que não estava com uma aparência agradável. Há tempos havia conversado com o mais velho – quando conseguir restabelecer a comunicação construtiva com ele – sobre que o que havia reparado sobre ela em relação ao caçula adotivo. Não recebeu uma resposta muito significante e estranhamente, um pedido de ir com ele até algumas lojas de roupas.

    Era estranho quando o rapaz mudava de assunto daquele jeito tão de repente e sabia que, quando isso acontecia, ele tinha alguma coisa ocultamente sinistra trabalhando embaixo daqueles fios brancos. Mas, aceitou o pedido da mesma forma, imaginando que seria uma boa chance para tentar também voltar a falar com Zion. Os dois sempre andavam juntos e já era quase sinônimo de sair com outro, quando saísse com um. Mas há dias que não conseguia manter um diálogo concreto com o ruivo, que sempre falava tão bem com ela. Imaginava as razões, é claro, e não foi difícil pensar que teria sido o suspense que fez involuntariamente no bar, dias atrás. Entretanto, por conta própria havia aceitado a própria situação e, se não conseguiria evitar, ao menos faria o favor de esclarecer o problema para o ruivo. Aceitaria se ele quisesse manter distância, se ele a considerasse estranha, ou o que viesse a acontecer. Só sabia que precisava voltar a dormir em paz. E não conseguiria enquanto estivesse com aquele ciúmes e aquele apego apertando-lhe o peito, sem cessar uma única vez. Também queria saber o tipo de envolvimento dele e de Rin, mas essa parte, não teria coragem de perguntar. Estaria sendo intrometida demais, já não bastando todo o resto.

    Chegado o dia da saída, recebeu uma mensagem de Harold no aplicativo de celular. “Vá de carro na frente. Encontro você lá, junto com o Zion.” Provavelmente os dois resolveram parar pra discutir de novo, como usualmente acontecia. Entretanto, não iria de carro daquela vez, preferindo o transporte público. Gastaria muita gasolina para um caminho curto, numa rota mais prática via ônibus. Ao saltar no ponto certo, adentrou ao centro comercial, começando a olhar algumas vitrines quase que automaticamente. Normalmente, eram sempre expostos modelos ousados e chamativos demais, que não combinavam com o gosto dela. Mas de vez em quando, tinha a sorte de achar algo de seu gosto, então não deixava de olhar sempre que tinha a chance. Enrolou alguns minutos que julgara suficiente para que os dois tivessem chegado, até decidir ir até o ponto de encontro, não demorando a avistar apenas Zion sentado na mesa, distraído talvez.

    Aproximou-se até que ele pudesse notar sua presença, sentando-se na cadeira ao lado da dele, no balcão da cafeteria. Tentou parecer simpática como seu normal sempre foi, mas não podendo deixar de notar pela expressividade alheia, que sua presença não era tão confortável pra ele.

    Então, fomos enganados de novo. — Sorriu, se referindo a Harold e sua pegadinha com os dois, já que ele havia dito que iria com o ruivo e não estava ali. Colocava a bolsa no próprio colo, se acomodando melhor no assento e suspirando. Sinceramente, o que o outro pretendia com aquilo tudo? — Não nos falamos há um tempo, né? Está tudo bem com você, Zi? — Perguntou quase retórica, tentando puxar assunto, de uma forma que nunca precisara antes com o rapaz. Todas suas conversas sempre vinham de forma espontânea com ele, mas naquele momento, já com coisas específicas que gostaria de conversar, até mesmo um “Olá” parecia inapropriado. Mas, um passo de cada vez, ao menos. Não estava nervosa, já havia se conformado com toda e qualquer possível reação ruim que o rapaz teria, quando dissesse o que tinha que dizer. Só esperaria o momento certo para fazê-lo. E não passaria daquele dia.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Zionga em Dom Fev 01, 2015 12:47 pm

    Quando Arthemis se pronunciou, confirmando que haviam caído numa das brincadeiras de Harold, não pode deixar de soltar um riso fraco e debochado até. Não para ela, mas para o fato de terem sido, como sempre, inocentes demais perante a mente travessa do irmão. Tomou então o resto do café que ainda restava em seu copo, decidindo olhá-la logo após. "Pois é... Acho que já devíamos ter imaginado, né?" Sinalizou, sabendo que iria se enrolar com as palavras caso tentasse pronunciá-las. Tinha uma vaga ideia do motivo para Harold ter tramado aquilo para cima dele. Certamente o outro queria ver a desgraça acontecer, como sempre. Era mais do que certo que o outro iria cair na gargalhada quando o ruivo chegasse em casa definitivamente chutado pela irmã adotiva. Suspirou enquanto brincava com o copo vazio em cima do balcão.

    Enxames, sabe como é... Atolam a gente todo. E achei que precisasse de um tempo, sabe? Um espaço. — Sabia que não seria convincente diante daquela desculpa por ter se afastado um pouco da menina durante aqueles dias, porém era o melhor que conseguia fazer no momento. Acrescentando claro, uma parte verdadeira, que sabia talvez convencê-la até certo ponto. — Estou bem, bem. E 'cê 'Mis, como tem 'tado? Ouvi Harold dizer que 'cê não anda dormindo muito bem... Estudando demais outra vez? — Tentava se soltar um pouco mais com a albina, afinal, agora não tinha para onde correr. Fingir que nada lhe afligia era a melhor maneira de evitar as coisas, sem contar que, não era muito difícil ficar bem e confortável na presença feminina, fazendo-o voltar a ter o comportamento normal de sempre, por mais que estivesse receoso no fundo. Aproveitando a oportunidade para saciar também sua curiosidade sobre o bem estar dela, já que sempre se preocupara.

    Pediu dois copos de café para o atendente, especificando o que a mais velha gostava para o dela e o de sempre para o seu. Não se deu ao trabalho de perguntar-lhe se realmente queria a bebida, sabia que Arthemis gostava tanto quanto a si para ser capaz de recusar. "Já que estamos aqui mesmo... Tem alguma coisa que gostaria de comprar? Eu te acompanho. Preciso de uns jogos novos, então, já vou ter que andar por ai mesmo." Convidou-a, não queria ficar por ai sozinho e a companhia da garota era sempre bem vinda, mesmo na situação em que eles se encontravam. Era melhor aceitar que já estavam ali juntos e aproveitar enquanto podia. Quando a bebida já estava pronta, ajeitou a mochila estilo transversal sobre seu corpo, pegando o copo e se levantando. Apenas esperando a resposta da albina para darem sequência àquelas comprar próprias de ultima hora.
    avatar
    Arthemis W.
    NPC

    Mensagens : 53
    Data de inscrição : 10/12/2014
    Localização : Na cova

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Arthemis W. em Dom Fev 01, 2015 7:17 pm

    Alargou um pouco mais o sorriso, ouvindo o rapaz errar a primeira palavra que pronunciava a si. Achava uma graça como ele se enrolava na semelhança de alguns termos, pela dificuldade de falar, mesmo ele sendo extremamente inteligente. Mas a desculpa dada a si a fez suspirar de forma disfarçada, passando a ideia de que havia se conformado com as justificativas atuais. Se era ou não a verdade, não tinha como saber e paciência, mas Arthemis tinha quase certeza de que o outro a estava evitando todo esse tempo propositalmente. Distraindo-se com o balcão, enquanto alisava-o com o dedo médio em círculos imaginários, apenas agradeceu o pedido que foi feito por si. Algo em cafeína a faria realmente bem durante aquele período do dia e não era difícil saber aquilo convivendo pouco com a garota. Quanto mais o rapaz, que conviveu com ela durante anos. Tanto tempo, que ele já sabia detalhadamente as coisas que ela gostava de pedir, como preparar e até se preferia mais ou menos quente.

    Por alguma razão, só passava a reparar em toda essa atenção, depois que havia se dado conta do que a incomodava. Estava contente, mas muito mais sem jeito do que qualquer outra coisa. Nunca havia reparado de verdade o quanto Zion a conhecia bem. Inevitavelmente, é claro, quando se convive com uma pessoa debaixo do mesmo teto durante toda uma vida. Mas Harold não se dava o trabalho de expor o quanto sabia da garota, ao mesmo tempo em que se preocupava com ela. Ele assumia realmente o posto de irmão mais novo clássico, que só gostava de atazanar a vida da mais velha. Se não fosse pela realidade das idades, Arthemis poderia até dizer que Zion às vezes agia como se ele fosse o irmão mais velho dela.

    É... Não ando dormindo direito, mesmo... Eu devo ter extrapolado com as provas chegando e é sempre muita coisa pra decorar. Medicina é um pouquinho mais chato nisso do que Engenharia. — Sorriu, tentando usar da própria sugestão dele para encobrir suas verdadeiras razões de ter perdido o sono por vários dias. Decorar nunca era problema para a Arthemis. Ela não tinha um raciocínio tão rápido quanto dos irmãos prodígios, mas poderia dizer que sua memória era algo que ela podia confiar sempre. Talvez a desculpa não colasse com alguém que com certeza conhecia essa característica da garota.

    Deixou o seu pedido no balcão assim que ele viera, para que pudesse se levantar, arrumar a saia e escorar a alça da bolsa sobre o ombro, antes de ajeitar o chapéu na cabeça – já que não podia dar-se ao luxo de se expor muito ao Sol, devido ao albinismo. Finalmente pode pegar e provar do que Zion havia selecionado por ela, sorrindo satisfeita com o sabor que esperava.

    É claro que não iria forçar o garoto a comprar roupas e maquiagem com ela. Ela mesma achava uma atividade longa, cansativa, trabalhosa e toda bastante desnecessária para o que significava no final. Filas, atendentes antipáticos e ainda tinha a chance de não achar o que queria e rodar o centro comercial todo à toa. Então, preferiu ir sobre as escolhas do mais novo. De vez em quando gostava de jogar também, mesmo que não fosse freqüente e era sempre humilhada pelos dois. Menos pelo ruivo, que tentava pegar leve com ela.

    "Eu vim hoje fazer coisas bem chatas, que não são urgentes e vou gostar muito de deixar pra próxima semana. Ou pro próximo mês. E como você parece ter em mente algo mais legal, eu vou com você. Enquanto eu esperava olhando as vitrines mais próximas, vi que inauguraram uma loja de games nova e lembrei de você. Podemos olhar também, o que acha?" Sugeriu em sinais, sabendo que ele gostaria da ideia e começando a ficar mais satisfeita por, finalmente, começar a reconstituir uma comunicação espontânea com o rapaz. Era até curioso como não foi preciso muito esforço depois das primeiras frases. Acompanhava-o até a saída do estabelecimento, indo em direção onde sabia que estava a loja que dissera. Tentaria aproveitar mais aquele dia daquela forma descontraída, até achar algum meio, em alguma ocasião e em algum lugar, para poder dizer o que entalava em sua garganta. Mas enquanto isso tudo não surgia, Arthemis se sentiria satisfeita em apenas estar na companhia de Zion.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Zionga em Sex Mar 06, 2015 8:09 pm

    Por mais desajeitado que fosse e que ninguém acreditasse muito na sua percepção diante das coisas a sua volta, era um ótimo observador. Reparava sempre e principalmente na forma como a mais velha agia. Não de hoje, sempre fora assim. Arthemis sempre fora o foco de toda a atenção do ruivo. No momento em que os olhos verdes a encontraram pela primeira vez, quando ainda vivia com sua família de sangue, ela sempre fora a pessoa que mais observara em toda a vida. Sabia de cor e salteado todos seus costumes, suas preferências e os significados de suas expressões e tons de voz. Entretanto, por mais que Zion fizesse tudo isso, a garota ainda era uma incógnita para si, principalmente diante de sentimentos e, pra piorar sua situação, sobre como era ela e sua vida social. Mas, o último era apenas um detalhe, que apesar de lhe atormentar, não fazia muita diferença. Se ao menos pudesse saber e entender os sentimentos dela, as coisas seriam um pouco mais fáceis. E o mais estranho de tudo, era que conseguia ver e perceber aquele detalhe em quase todo mundo, principalmente das pessoas que não lhe importava. Mas com ela... Bem, com Arthemis sempre era zero, nada, nadica de nada, branco.

    Sorriu diante da desculpa re-usada por ela, sabendo bem que não era tão verdade assim. E novamente, a sensação desagradável de não entender – o motivo dela jogar na mesma moeda – se fez presente. Mas não podia nem pensar em reclamar, ou comentar que não era verdade, afinal, também havia mentido. Então apenas concordou com a cabeça, expressando compreensão.

    Sorriu alegre e abobalhado ao ver que ainda acertava nos gostos de Arthemis, o que era óbvio, mas ainda assim, o deixava mais contente. Prestou atenção no que a menina lhe dizia por sinais, acenando com a cabeça para mostrar que estava acompanhando, enquanto isso, o sorriso apenas aumentava e ficava ainda mais natural e bobo. “Ah! Eu ouvi falar dessa loja... O pessoal da minha turma toda estava falando dela, mas acho que fiquei estudando tanto que acabei esquecendo.” No fim de tais sinais, fez uma careta, para demonstrar que era um cabeça de vento. Antes de retomar a comunicação, decidiu ir à frente, dando passagem a ela enquanto lhe abria a porta do estabelecimento, passando a acompanhá-la logo em seguida. “Acho uma ótima ideia a gente ir lá! Posso comprar os meus jogos e ainda podemos jogar um pouco de fliperama. Se for o mesmo que o pessoal falou, ele tem um andar em cima cheio de games árcade. Quer tentar jogar comigo?” Perguntou, enquanto em um ato automático e impensado, tratou de pegar – delicadamente – um dos braços da albina e passar-lhe dentro do seu, para que pudessem andar juntos.

    Zion infelizmente era assim, enquanto pensava muito em alguns assuntos, em outros, não pensava nem um pouco. Sequer percebendo o ato, ou até mesmo, que assim ficariam um pouco incomunicáveis ou que, talvez Arthemis não quisesse o contato. Bem, agora já estava feito. Era o que acontecia quando o rapaz ficava confortável perto de alguém e animado ao mesmo tempo.
    avatar
    Arthemis W.
    NPC

    Mensagens : 53
    Data de inscrição : 10/12/2014
    Localização : Na cova

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Arthemis W. em Sex Mar 06, 2015 9:00 pm

    Respondia à gentileza de ter a porta aberta para si com um sorriso simpático, esperando-o alcançar-lhe para depois seguirem ao local prometido. Sabia que seria uma ideia que agradaria ao mais novo, mas é claro que se sentia muito mais satisfeita em vê-lo tão animado de novo. Aquilo a tranquilizava mais. Muito mais. Teve de fazer um leve esforço para não se distrair enquanto apreciava a alegria alheia e entender os sinais que lhe eram gesticulados. Riu de forma tímida, achando divertida a ideia de jogar com ele, mas sabendo que em toda disputa ela perderia. Concordara, animando a si mesma com o ambiente que se formara entre os dois, sentindo-se novamente à vontade como sempre se sentia, ao lado do ruivo. Suspirou, envolvendo-se nos próprios pensamentos e olhando ao redor, procurando o lugar que sabia que estaria próximo. Encontrara uma placa digital, com o nome da loja em questão, um pouco mais adiante na rua perpendicular. Por reflexo, esticou a mão para puxar a de Zion, mas travou bruscamente no caminho, engolindo em seco. E de repente, todas as suas preocupações voltaram ao seu cérebro como uma martelada no rosto.

    Sentiu até mesmo os pés pesarem, apenas com o simples ato de segurar a mão alheia, coisa que antes fazia sem nem reparar que estava fazendo. Um segundo depois, foi pega de surpresa pelo mais novo entrelaçar o braço ao seu, sentindo rapidamente o rosto esquentar e abaixar, de forma que encarasse os próprios pés. Ele tratou de fazer o que ela havia perdido a coragem, de uma hora para outra. Naquele momento, o contato alheio, tão inocente, fez Arthemis encolher-se de timidez, de uma forma que pareceu se encostar em Zion. Parou de andar de repente, antes que saíssem da rua. Calada, provavelmente corada e olhando para abaixo, apontou para a loja com o indicador. Quando notou, encolhera-se tanto que já estava com a bochecha no braço alheio. Afastou, sentindo-se muito idiota por estar agindo como uma criança tímida, pensando em como tentar disfarçar a própria situação, enquanto iniciava as coisas por conta própria.

    V-venha. — Gaguejou, infelizmente. A garganta pareceu grudar na hora, como se mandasse ela continuar muda. Puxou o ruivo para a direção da loja, não precisando de muito mais para que pudessem entrar e logo distrair-se. De primeira, bateu o olhar no andar superior, que dava para ver pelo debaixo. As luzes das máquinas piscavam coloridas, algumas em neon e todas com desenhos peculiares, que ilustravam os jogos que cada uma continha. Esperou o outro escolher os jogos que queria, tentando acompanhar o ritmo dele. Quando resolveram subir, esperou que o rapaz escolhesse o que queria jogar primeiro. Arthemis não tinha tanta experiência em fliperamas, mas sempre gostava de jogar quando tinha a chance, pois achava simplesmente divertido. Mas alguns jogos pareciam ter se modernizado e muitos ela nem sequer fazia ideia de como se jogava.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Zionga em Sex Mar 06, 2015 10:39 pm

    Estava distraído prestando atenção no local para gravar em sua memória como poderia chegar ali sozinho depois. Gravava pontos de referências e tudo mais enquanto caminhava e teria continuado um tanto avoado se Arthemis não travasse e chamasse ainda mais sua atenção do que normalmente o fazia.

    Preocupado, olhou-a em uma analise rápida. Ao que aparentava, os sinais eram de que ela estava tendo uma recaída. Parada brusca e busca por apoio, além de não verbalizar nada e não lhe olhar... Parecia claro demais na mente do Ruivo o motivo, por isso, tratou de ajudá-la oferecendo o apoio necessário. — ‘Tá bem, ‘Mis? — O tom preocupado em sua voz era nítido, fazendo-o até ignorar a direção apontada. Zion nunca havia gostado das recaídas, nunca havia gostado da saúde frágil da albina, mas não tinha muito o que fazer quanto a isso além de ficar em cima, mandando-a se cuidar e todas essas coisas. Entretanto, nos últimos dias não fizera isso e, portanto, não sabia ao certo o quanto a garota estava se cuidando.

    Iria oferecer mais apoio e ajuda para que a mais velha conseguisse andar melhor, ainda achando que ela estava tendo algum problema com a saúde, ou talvez fosse o calor, não sabia ao certo. Mas, tivera que abandonar o plano quando a companheira voltou a se locomover, indo junto. Provavelmente, ela havia tudo só uma das fraquezas costumeiras, vai saber. Porém ficaria de olho nela e não deixaria ir sozinha para casa, definitivamente.

    Deu de ombros no fim, indo com ela e adentrando a bela loja. Acabou desfazendo o enlace entre os braços, afastando-se um pouco da irmã. “Já volto.” Sinalizou rapidamente, indo pegar os jogos no balcão, já que sabia os nomes de cabeça. Comprou-os sem muitas delongas, aproveitando pra já comprar as fichas e logo voltou não fazendo Arthemis esperar por muito tempo e logo retornou, pegando em sua mão também no automático – apesar dessa vez, acabar percebendo e corando um pouco ao pensar no ato – e puxou-a delicadamente para acompanhar-lhe até o andar de cima. Observava todos os jogos, buscando os que achava mais legal. Mas a curiosidade e para onde o olhar de Arthemis levava lhe deixava mais curioso os títulos que o fliperama continha. Sorriu, mesmo que ela não pudesse ver o mesmo, puxando-a novamente para o game que ela praticamente encarava, provavelmente tentando entender como funcionava. “Esse aqui é legal, quer tentar? Ele pode parecer complicado, mas não é. Só que ele é pra um só... Vou por pra você e te mostrar como é, okay?”

    Antes de afastar-se pra colocar a ficha, Zion colocou o que precisava pro jogo na albina. Nada demais, apenas os sensores de movimento. Ofereceu o óculos para a garota, mandando-a por e fazendo sinal pra ela subir na pequena plataforma que tinha ali. Então, finalmente foi por as fichas necessárias na máquina, retirando os dois controles de arma da base do árcade. Aproximou-se de Arthemis novamente, entregando-lhe os acessórios para em seguida subir na plataforma junto dela – mais especificamente, atrás –, mas de forma que não fosse atrapalhar a jogabilidade.

    — É ‘sim, ó. — Quando falou, meio que envolveu a mais velha em seus braços, só que, ao invés de ser um abraço, ele tentava ensiná-la como que funcionava o controle, que era praticamente todo por sensores de movimento. — Daí ‘cê comeza o jogo, ‘tendeu? E despô é só continuar, como nos normal... Só que com os movimento e tal. — Enquanto falava, demonstrava pra ela os movimentos do personagem na tela, os movimentos específicos pra continuar o jogo, como o ato de atirar, andar e esses detalhes importantes. Tudo com exemplos onde Zion ajudava-a, extremamente perto, mas desligado demais pra perceber. Mas, empolgado demais para mostrar o “brinquedo” e sua complexibilidade não tão complexa assim, porém super divertida e inteligente.
    avatar
    Arthemis W.
    NPC

    Mensagens : 53
    Data de inscrição : 10/12/2014
    Localização : Na cova

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Arthemis W. em Sex Mar 06, 2015 11:53 pm

    Não ficou surpresa quando o ruivo lhe indicou o jogo que antes ela olhava. As vezes se distraía olhando uma coisa só e não era difícil notar. Menos ainda para Zion, que tinha uma facilidade única pra saber do que a garota gostava ou não, queria ou não fazer. Em parte, não gostava de ficar em dúvida sobre as coisas, então alegrou-se quando o mais novo se dispôs a ensiná-la como jogar. E ao contrário de seu irmão caçula, que costumava aderir ao método do “toma e se vira”, Zion era sempre prestativo ao máximo com ela. Até mais quando se tratava de assuntos que ele gostava. Porém, não era o primeiro jogo que o rapaz ensinava a albina. Muito menos não era a primeira vez que ele chegava tão perto daquela forma. Mas muita coisa mudou do ponto de vista de Arthemis sobre Zion, desde alguns dias, sendo agora bem mais complicado ignorar o quão próximo ele estava, sem se sentir extremamente aconchegada e confortável. Mas num nível tão grande que a constrangia, só pela necessidade de querer mais daquela aproximação. E todo o resto do seu corpo tinha uma reação conjunta que seu racional desaprovava e muito, resultando novamente num conflito interno de que não deveria estar tendo aquele tipo de sentimento por alguém que, em tese, era seu irmão. Ainda assim, se esforçava para entender as explicações do maior. Não queria fazê-lo achar que estava sendo ignorado, não quando ele estava tão contente e empolgado, de maneira que nem percebia que estava perto demais.

    A moça suspirou pesado assim que seu corpo reagiu com um frio na espinha, sentindo o rosto queimar de uma forma intensa, com os ombros encolhidos e totalmente tensos pela timidez que se instalava. Mantinha uma certa distância de centímetros do corpo atrás do seu, mas apenas a sensação de tê-lo dentro de seu espaço pessoal já era suficiente para manter toda a situação de pé. Escutar a voz dele mais perto que de costume também não ajudava em nada. Agradeceu mentalmente por estar de chapéu, com os óculos do game e também pelo rapaz estar atrás e ser mais alto. De forma alguma ele conseguiria ver seu rosto quase da cor de uma pimenta. Quando a “aula” acabou, Arthemis finalmente começou o jogo sozinha. A cabeça totalmente concentrada no que tinha acabado de acontecer, desesperou-se internamente quando viu o “Ready?” na tela, seguido pelo “Go!”. Entreabriu os lábios, prendendo a respiração e sentindo que a partir disso, sua consciência desligara e seu cérebro entrava no piloto automático. Quando voltou a si, piscava e apenas percebia que o jogo acabara, com uma pontuação muito boa. Largou os controles no lugar reservado para eles, percebendo antes disso que os apertava muito forte e retirando os óculos do rosto.

    Aparentemente, havia aprendido a jogar. Pena que não aproveitou em nada o divertimento que o jogo deveria ter proporcionado. Distraiu-se por um segundo, assim que tentou descer da plataforma pra tentar abafar o constrangimento – caso Zion percebesse de vez –, e pisou em falso com o pequeno salto que seu sapato continha. Escorregou milímetros, mas o suficiente para desequilibrá-la pra trás. Obviamente, batera com as costas em Zion, que já caía fácil sozinho, quanto mais sendo “atacado” daquele jeito de repente. De olhos abertos, apenas esperou o baque do chão durante a queda curta – já que a plataforma não era tão alta –, que havia sido amortecida pelo mais novo. O chapéu voara de sua cabeça, caindo em ao seu lado. A preocupação viera antes da vergonha de estar em cima do maior, dessa vez. Havia o derrubado por baixo de si. Ele era alto e sempre caía de mal jeito, poderia ter se machucado. Virou-se para o mais novo, desajeitada pela pressa e pelo atordoamento da queda, mas olhando-o com apreensão e culpa.

    Zi! Você está bem? Desculpe, e-eu me desequilibrei e... Você não se machucou, né?! — Já se considerando o ser mais idiota do mundo por ter causado aquilo tudo por simples vergonha, Arthemis passava os olhos pelo corpo do rapaz, procurando algo que pudesse estar precisando de cuidados. Não achara nada, mas ainda esperava a resposta alheia, ansiosa por conta da preocupação, esquecendo até mesmo de sair de cima dele.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Zionga em Seg Mar 23, 2015 10:17 pm

    Enquanto explicava as coisas para Arthemis, sentia que a mesma estava um tanto quanto nervosa, talvez. Mas não deu muita bola, provavelmente era graças às novas informações e a ansiedade de jogar algo novo. Uma reação normal a qualquer um, principalmente àqueles que não são acostumados com a nova tecnologia. Encerrou a explicação por fim. Entretanto quando a euforia de ensinar algo que gostava para a mais velha se dissipou, percebeu o quão estava perto. Afastou-se quase em um pulo, saindo da plataforma. Sentia seu coração acelerar com o pensamento, com a lembrança dos instantes atrás, fazendo-o ficar um pouco desnorteado, como se tivesse levado um soco. Suspirou abobalhadamente ainda sentindo o perfume alheio invadir-lhe o olfato e suas mãos ainda formigando dos toques que havia proporcionado sobre a pele da albina. Era realmente um idiota apaixonado.

    Não prestou atenção em metade do jogo da garota, mas quando percebeu a ótima jogabilidade, chegou até mesmo a ficar boquiaberto, acordando de vez de seus devaneios. Arthemis nunca havia sido muito boa com games, mas quem a visse agora nem pensaria na possibilidade.

    Continuava encarando a tela do fliperama mesmo quando o aviso de que havia acabado o tempo aparecera. — ‘Themis... — Quando finalmente decidiu se virar, animado pela garota e desatento por isso, fora atacado de surpresa pela mesma. Percebeu que ela havia tropeçado tarde demais para tentar se equilibrar e ajudá-la, caindo juntamente. O máximo que conseguiu fazer foi protegê-la de se machucar na queda. Missão bem sucedida. Riu da situação, que já estava mais do que acostumado.

    O que não estava acostumado, entretanto, era abrir os olhos e dar de cara com o rosto da albina tão perto de si, assim como sentir o corpo dela tão junto ao seu. Nem mesmo quando se abraçavam ficavam tão próximos daquela forma. O riso falhou, assim como os próprios batimentos cardíacos e a respiração. Seu rosto esquentou tanto que seria um milagre não entrar em combustão ali mesmo. Entreabriu os lábios, tentando buscar uma resposta, mas nenhum som saiu. Assim como percebeu o quanto tinha sido uma péssima ideia tentar falar. Estava tendo um pane no sistema, um curto circuito. Levou uma das mãos ao rosto, tentando tampá-lo um pouco para esconder sua situação constrangedora. Assentiu com um leve balançar de cabeça, esperando que a irmã adotiva entendesse que estava tudo bem. Levantou um pouco o tronco, tentando pôr-se sentado, porém logo se arrependeu.

    Sacudiu a cabeça e respirou fundo e para que sua situação não ficasse ainda pior, ou ficasse ainda pior, abraçou-a. Dez culpa eu ter me afastado, ‘Mis. Foi uma burrito minha... Senti saudade. — Falou próximo a audição alheia, baixo e embolado, graças a sua falta de jeito. — ‘Tá tudo ok-bem. Não se procupa. — Por fim, desfez o abraço, apoiando-se no chão com os dois braços. Ofereceu um meio sorriso de canto para a mais velha, ainda completamente corado e sem jeito, mas tentou ignorar por um momento tal fato. — E ‘cê, ‘tá bem? — Perguntou apenas pra confirmar enquanto esperava ela se levantar, apesar de no fundo, não querer que ela o fizesse.
    avatar
    Arthemis W.
    NPC

    Mensagens : 53
    Data de inscrição : 10/12/2014
    Localização : Na cova

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Arthemis W. em Qua Mar 25, 2015 7:25 pm

    Poderia dizer que havia se perdido brevemente nas reações que o rapaz tinha. Era tão fofo ver ele se perder, que Arthemis conseguiu espaço para admirar aquilo em meio a sua preocupação em saber se o mais novo estava bem de fato. A resposta silenciosa e visivelmente confusa do rapaz, fizeram a albina sorrir e suspirar de alívio, satisfeita em ver que o tombo não havia sido grave. De fato, ele deveria estar acostumado a cair, de tantas vezes que acontecia. Tranquila, a garota finalmente conseguiu a atenção necessária para se dar conta da própria situação. Só então percebeu o quão próxima estava do maior, de forma bastante constrangedora e que poderia ser motivo de levarem uma bronca se algum funcionário do lugar os visse daquela forma. Encolheu os ombros enquanto o fitava, sentindo o rosto todo esquentar muito, tendo a intenção de afastar-se num pulo enquanto se tencionava por completo.

    Mas antes que pudesse se mover, sentiu sua espinha arrepiar de forma que até alguns fios de cabelo poderiam sair do lugar, quando recebeu o abraço inesperado de Zion. Demorou até algum tempo para entender o significado das palavras dele em seu ouvido, filtrando apenas o som da voz dele como se estivesse numa língua que ela não falava. Mesmo que estivesse morta de vergonha, ainda assim sentiu o corpo relaxar com o aconchego do maior, olhando para um ponto cego à sua frente e deixando as pálpebras caírem de forma abobalhada. Por mais que a timidez a deixasse reprimida, não conseguia deixar de se sentir tão à vontade nos braços do ruivo. Ainda assim, seu rosto não deixava a coloração rosada e pela aproximação, pensou que o outro pudesse sentir seus batimentos cardíacos ligeiramente descompassados. Pensou que teria a chance de só fechar os olhos e deitar a cabeça no ombro alheio, como se ele fosse deixa-la dormir em seu colo como uma criança. Mas o rapaz desfizera o abraço e Arthemis deu-se conta de que precisava parar de se iludir toda vez que chegava tão perto de Zion. Ainda corada, ficou meio perdida com a pergunta que lhe era feita e só então, conseguia captar o que o mais novo havia dito anteriormente. Suspirou, pois é claro que o desculparia, mesmo que ele não tivesse culpa de absolutamente nada. Sorriu, gentilmente e ainda um pouco boba.

    Estou sim. Você é um ótimo amortecedor. — Riu baixo, mas por um pouco mais de tempo do que deveria do que ela mesma havia dito, recolhendo de volta o chapéu caído no chão, antes de distanciar-se e levantar, estendendo a mão para ajuda-lo. Seria bom evitar usar sapatos com saltos, mesmo que baixos, na presença de alguém que a desestabilizava tanto. Por precaução e segurança dos dois. Quando o mesmo se levantara, sentiu uma imensa vontade de abraça-lo de novo, mas conteve-se, lembrando-se de ajeitar a roupa ligeiramente desajustada pelo tombo. Encaixou o chapéu na cabeça. — ... Eu s-senti saudades, também... — Sussurrou, não sabendo se queria ou não que ele ouvisse, puxando as abas do chapéu para baixo, de forma que tampassem o que podiam do rosto ruborizando mais, de forma muito inconveniente.

    Soltou o acessório, precisando tentar disfarçar as próprias necessidades de algum jeito. Então sorriu para ele, como se estivesse tudo muito normal, sinalizando com as mãos para que ele pudesse prestar atenção em outra coisa que não fosse sua face. “Eu me diverti bastante com o jogo, obrigada... Eu queria continuar jogando com você, mas daqui a pouco vai ficar tarde pra voltarmos pra casa e não vim de carro. Vamos juntos? Talvez possamos jogar mais em casa, se quiser. Quero aprender sobre os que comprou, também. Eu adoraria.” Convidou-se e em meio aos gestos, acalmando-se até que pudesse esperar pacientemente a resposta do outro, enquanto aproveitava sua simples presença ao seu lado.

    Conteúdo patrocinado

    Re: [#05] Compras com Harold (sem Harold)

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Dom Dez 17, 2017 10:51 am