Fórum RPG somente para jogadores dentro o grupo. Caso tenta interesse em entrar, entre em contato com a administração.


    [#14] Treta de novela mexicana

    Compartilhe
    avatar
    Heike_Walker
    Áries

    Mensagens : 171
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Localização : Na casa do caralho

    [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Heike_Walker em Sex Mar 20, 2015 11:31 pm

    Heike estava um pouco mais animado aquela manhã. Ainda que estivesse frustrado com a reação de Nero em reação o que vinha ocorrendo em sua vida, o jovem havia permanecido em silêncio e apoiado o amigo em suas decisões. O que mais poderia fazer, afinal?

    Era apaixonado por ele, já tinha entendido isso por mais que evitasse pensar em tal coisa. E não teria problema para contar a ele se fosse ter algum resultado, mas era óbvio que não teria. Depois de semanas ignorando seus pequenos avanços e indiretas, e agora sofrendo tanto por outra pessoa, o loiro sabia bem que não tinha chances. E entre tirar isso do peito e ter a chance de acabar perdendo uma amizade, bem, não queria se arriscar. Depois que havia conversado com Zion, o rapaz se sentia um pouco melhor consigo mesmo. Não tinha resolvido sua vida, é claro, mas simplesmente ter contado aquilo para alguém já era o suficiente para talvez deixar de lado aqueles sentimentos idiotas e começar a focar na própria vida de novo, sem aquela influência morena e gigante o afetando por qualquer coisa.

    Não que fosse fácil, agora que ele estava trabalhando e vivendo justamente na casa dos Wilhelm, de tantas naquela cidade. Parecia até carma, alguma conspiração inútil chamada "vamos ferrar o inútil do Heike". Mas estava disposto a ver tudo aquilo de maneira positiva e esquecer o próprio desconforto quando recebeu uma mensagem do dito cujo avisando que faria um almoço especial de domingo. Iria lá se distrair com os amigos, comer comida boa e tentar não pensar mais nisso. Na verdade já estava com a cabeça cheia o suficiente pensando em como o outro devia estar lidando com tudo aquilo, vivendo no mesmo ambiente que o escroto do Harold, sendo que vira ele se pegando com Rin. Heike aliás sequer tinha conversado com Harold sobre isso ainda, mas conhecendo o amigo, sabia que não devia ser nada sério. ' De qualquer forma, o que aquele cuzão tem que 'tá todo mundo em cima agora? Que mau gosto. ' Pensou consigo mesmo enquanto entrava na residência dos albinos.

    Mas foi só atravessar o hall de entrada e dar alguns poucos passos na sala que parou onde estava, os olhos escuros focados no sofá mais afastado. Não estava acreditando no que via. Rin deitado contra Harold, de uma forma que parecia íntima demais pra ser considerada normal. O mesmo Rin que havia dito a Nero que com certeza não tinha nada com o albino, que havia feito ele sofrer tanto e então criado esperanças naquela pobre cabeça inútil do moreno. Sentindo um ódio crescente o sufocar no peito, o ariano largou a mochila não chão e apertou as mãos em punhos, encarando o outro loiro como se pudesse escapelar ele com o poder da mente.

    Mas que MERDA tá acontecendo aqui?!?
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 290
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Rin Damien em Sab Mar 21, 2015 12:12 am

    Desde que havia esclarecido os sentimentos que tinha em relação a Harold para o mesmo, não havia tido nenhuma mudança no modo em que se tratavam e conviviam; o esperado, se tratando dos dois. E Rin começara, aos poucos, a ignorar e diminuir com sucesso as próprias relações involuntárias quando o outro estava por perto, sentindo que seria questão de tempo até que pudesse trancar tudo aquilo no passado. Fora chamado por Arthemis para um almoço especial na mansão dos Wilhem, e tendo chegado cedo demais, passara tempo com sua amiga até que ela o chamara para ir às compras com o novo empregado da mansão, surpreendentemente, Nero. Apesar de com um início estranho, uma pequena amizade se formara entre os dois após o incidente; acabavam conversando nas poucas vezes que se viam pela rua, na faculdade ou no bar.

    No entanto, o loiro negara o pedido da albina, sabendo que os dois eram mais que o suficiente para a tarefa e que ele próprio ainda teria algo para distraí-lo na casa. Procurando o irmão de sua amiga, o encontrou na sala, tendo conectado um dos notebooks à televisão, na qual assistia um campeonato de League of Legends. Admitia que gostava tanto daquele jogo quanto Harold, e se juntara a ele no sofá, observando as jogadas profissionais que ele próprio estava muito, muito longe de fazer; ao menos aprendia algo enquanto isso. Parecia que a preguiça do mais novo era algo contagiante quando estava com ele, e aos poucos o próprio corpo deslizara no sofá quase involuntariamente para se encostar ao alheio. Dizia para o próprio coração engolir os batimentos levemente acelerados; porém sabia muito bem que não se permitiria tal ato se ainda estivesse preso ao que sentia anteriormente. Era algo como um avanço.

    Não havia prestado atenção a passos – que normalmente eram de empregados – até ouvir uma voz familiar na entrada do local, que o fez desviar o olhar da tela para focá-lo no recém chegado. Estava acostumado ao palavreado de Heike, mesmo que não o visse tanto, mas a pergunta feita, junto à postura agressiva do outro loiro, não fizeram sentido algum para si. Uma sobrancelha arqueada, respondeu a coisa mais óbvia que viera a mente no tom mais educado possível, sem se mexer sequer um centímetro. – Vendo um campeonato de jogo. Quer ver também?
    avatar
    Harold Wilhelm
    Capricórnio

    Mensagens : 163
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Idade : 22

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Harold Wilhelm em Sab Mar 21, 2015 3:38 pm

    O albino passara particularmente muitos dias com um mau humor inexplicável, até mesmo para ele. Ninguém sabia, afinal o rapaz sempre fazia o que quer que fosse sem que qualquer um ficasse sabendo, mas até mesmo deixara de ir em algumas aulas por conta daquela sua indisposição. Sabia que iria arrumar confusão em alguma hora mesmo que involuntariamente, pois não eram poucas as pessoas que não iam com a cara de Harold na universidade. A língua afiada do rapaz costumava ficar especialmente mais irritante para quem quer que dialogasse com ele naquele atual estado. A questão era que: não havia acontecido absolutamente nada para Harold ficar daquele jeito. Exceto ter voltado para casa no dia que fora na festa e encontrara Rin, dormido e sonhado com o episódio que ocorrera junto ao loiro no closet. Seria ignorado a princípio, e foi. Se não tivesse se repetido quatro noites seguidas e aquilo já havia perdido o sentido pra Harold, que costumava sequer se lembrar de seus sonhos. Além do que, por mais que aquilo indicasse – numa pessoa normal, pelo menos – acordar excitado, acontecia o oposto. O albino acordava tão perturbado que passava longos minutos na cama olhando pro teto, refletindo porque demônios aquilo travou em seu cérebro. Alguns sonhos se adaptavam e incluíam até mesmo coisas que não haviam acontecido. Consequentemente, por influência onírica, agora Harold não conseguia parar de pensar no por que de estar sempre sonhando com Rin. E especialmente, daquele jeito. Olhara para o próprio corpo, franzindo o cenho. Carência involuntária, talvez? Beirava o ridículo, mas já havia ouvido falar de necessidades naturais do corpo que independia da vontade direta da mente.

    Curioso e felizmente, nada daquilo alterava na sua maneira de lidar com o loiro em questão. Pelo contrário, parecia que próximo a ele percebia que nada naqueles sonhos poderia fazer algum sentido, então voltava ao seu padrão, sentindo-se aliviado. Seguiria muito bem daquele jeito se não tivesse percebido com o tempo que, além dos sonhos o perturbando, era só se distanciar do loiro novamente que voltava a se confundir. Para alguém que estava acostumado e acomodado em ter uma apatia totalmente estável e invariável, ter aqueles picos de apreensão resultava no mau humor interminável do albino. Fez uma careta, decidindo pela zilionésima vez – inutilmente – esquecer aquela porcaria toda.

    Voltava a comer sua torrada com café, dirigindo-se à sala e procurando se distrair com algo que realmente drenava sua atenção. Conectou seu notebook na televisão, colocando uma partida do campeonato de League of Legends que estava ocorrendo. Sucesso. Metade do que o atormentava foi esquecido assim que a seleção de Pick começou da primeira equipe. No meio disso, sequer escutou o que Arthemis havia dito durante a manhã e só respondeu com um grunhido para concordar, seja lá o que fosse. Passava algum tempo que só saberia definir por quantidade de partidas que passaram uma após a outra, com alguns poucos intervalos para comentários.

    E do nada, Rin brotara na sala.

    Não esboçou nenhuma reação, mas pensou que talvez tivesse algo a ver com o que Arthemis havia lhe dito e não prestara atenção. Gesticulou para que o outro se sentasse ao seu lado, sabendo que ele gostaria de assistir ao campeonato. Sentiu o mau humor se dissipar lentamente. Rin de médico virou remédio. Ótimo. Ironizou mentalmente, para si mesmo. Quase não percebeu o mais velho escorregar até encostar a cabeça em si, deixando-o ali onde estava e procurando estranhar menos tudo aquilo.

    Até Heike também brotar na sala.

    Algo o dizia que deveria ter prestado atenção no que Arthemis havia dito.

    Mas para sua alegria e diversão do dia, o amigo estava visivelmente alterado por algo que não estava entendendo inicialmente. E pelo convite de Rin, o menor entendeu menos que ele. Por hábito, tentou compreender a pergunta de Heike mais a fundo. Só pela cara dele, encarando os dois, a implicância deveria ser com a forma como estavam. Mesmo que não estivesse acontecendo nada além de um Rin usando o albino de encosto provisório. Bem, se o problema era exatamente aquilo, tinha uma forma rápida de confirmar. Abriu a boca devagar, levantando as mãos e se espreguiçando num bocejo fingido e, assim que abaixara os braços novamente, um deles acidentalmente parou por cima dos ombros do médico, aproximando-o mais de si.

    É Heike, vem assistir. Você também gosta de jogar. — Sorriu, cínico, encostando o queixo na cabeça de Rin. Pelo menos tinha algo além de LoL para poder distraí-lo.
    avatar
    Heike_Walker
    Áries

    Mensagens : 171
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Localização : Na casa do caralho

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Heike_Walker em Sab Mar 21, 2015 5:07 pm

    As sobrancelhas foram arqueadas com certa violência quando viu a expressão sonsa de Rin ao lhe perguntar aquilo, e por mais que uma vozinha no fundo da cabeça lhe alertasse que o loiro não sabia que ele sabia de toda a situação, de alguma forma aquilo só deixava tudo ainda pior. Para piorar Harold ainda lhe presenteara com aquele conhecido sorriso cínico, seu tom de voz denunciando todo o veneno por trás do convite. Com o jeito do albino estava acostumado, mas a cabeça simplesmente travou na imagem deles juntos, que formavam até mesmo um casal bonito se não fossem dois escrotos que mereciam morrer. Eles sabiam que Nero estava ali? Nero. Estava. Ali. Qual era a porra do problema desses inúteis, sério? Não entendia sequer o motivo do próprio loiro estar ali. Quer dizer, provavelmente Arthemis tinha chamado ele para o almoço, já que eram amigos próximos, mas aquilo não fazia diferença. Depois que Nero tinha ido trabalhar ali, Rin tinha que ser banido daquela casa. Rin Damien tinha que ser banido da vida.

    Vendo o maior se mover contra Rin daquela forma que parecia até mesmo carinhosa, o loiro sequer pensou antes de avançar pra cima do estudante de medicina, mal conseguindo focar os olhos em qualquer coisa tamanho ódio que sentia. O punho foi direto para a gola de sua blusa e com facilidade levantou o corpo alheio, sacudindo-o uma vez com brutalidade. Eu odeio gente que nem você, sabia? Que se faz de santo e se acha melhor que todo mundo, mas na verdade não passa de um filho da puta barato e insensível. Disse entredentes, deixando óbvio o nojo contido em cada palavra. De forma completamente irracional e impulsiva, o punho logo voou contra o rosto do menor num soco forte o suficiente para lhe jogar sobre a mesa de centro, derrubando tudo no caminho até o chão. Um sorriso maldoso brincou nos lábios do ariano, que sequer se lembrava de Harold no mesmo cômodo, a medida que via o mais velho ali sem força alguma sobre o tapete claro e felpudo que agora era manchado de vermelho.

    Você acha isso engraçado, piranha? Acha engraçado brincar com os sentimentos e machucar quem se importa de verdade contigo? Você é ridículo. Praticamente gritou, estalando os dedos e rosnando em seguida ao que avançava para desferir um chute em seu estômago. Só conseguia pensar na expressão de Nero quando tinha pegado ele chorando sozinho de madrugada, no meio da rua. Se o amigo sofria tanto por um imbecil como aquele que não parecia sequer se importar em provocava mais dor, nada mais justo do que fazer o imbecil sofrer também. Sofrer ainda mais.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 290
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Rin Damien em Sab Mar 21, 2015 6:10 pm

    Assim as coisas ficam mais difíceis, Harold. Fora o único pensamento frustrado que tivera ao sentir o braço do albino o aproximando ainda mais do mesmo. Porém, mesmo que não visse a expressão alheia a seu lado, o tom de voz fora o suficiente para que sua mente começasse a juntar o comportamento de Heike com aquela ação. Mas mal tivera tempo de pensar no por que ele e Harold juntos daquela forma incomodaria o outro loiro quando fora tirado forçadamente da posição que se encontrava. Tentava fazer sentido das palavras enraivecidas que eram jogadas em sua direção, apesar de que, conhecendo Heike – mesmo que pouco – imaginava se a raiva seria apenas verbal. Claro que não.  

    A dor logo se espalhava por seu rosto e suas costas ao ter um baque forçado no chão devido ao soco, passando e derrubando tudo que havia na mesa de centro em seu caminho. Um gosto de sangue que gostaria que nunca mais passasse por seu paladar invadia sua boca, e sentia que seu nariz também não estava em um estado muito melhor. Não teve reação imediata alguma à agressão, apenas ouvindo novamente o que era dito, o que apenas servia para aumentar a própria confusão. Achar engraçado? Brincar com o sentimento dos outros? Do que diabos ele estava falando? Se era relacionado a Harold, não imaginava quem estaria machucando simplesmente se encostando nele, a não ser talvez, minimamente, a si próprio. E até isso já estava superando.

    Uma outra pontada dolorida surgiu ao ter o estômago chutado, o que finalmente lhe fizera reagir, simplesmente pelo fato de que continuaria a apanhar por algo que não entendia se permanecesse no chão. Rapidamente, pegou a perna com que fora chutado, a torcendo e tirando-a do caminho de modo que o outro perdesse o equilíbrio, antes de se levantar em um pulo, ignorando os protestos de seu corpo com a ação. Levemente curvado e com um braço protegendo a última área atacada como se fosse fazer alguma diferença, deu alguns passos para longe, estabelecendo uma distância mínima. Sentia-se assustadoramente calmo – ainda que perdido – sobre a situação. Tossiu, cobrindo a boca com a mão livre, antes de falar, observando o vermelho sujá-la, antes de voltar o olhar ao outro. – Se você puder me dizer o que eu fiz pra resultar nisso, seria ótimo. Nem sei quem eu machuquei, mas não é minha intenção brincar com os sentimentos de ninguém. E você seria uma das últimas pessoas que poderia falar qualquer coisa sobre mim, não, Heike? – A última frase não fora dita com malícia alguma, no entanto, considerando a própria vida amorosa praticamente não existente, não dava direito algum pra aquela pessoa falar algo.
    avatar
    Heike_Walker
    Áries

    Mensagens : 171
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Localização : Na casa do caralho

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Heike_Walker em Sab Mar 21, 2015 8:06 pm

    Heike não esperava que o menor fosse revidar, mas não se deixou abater ao ter o pé torcido, apenas cambaleando para trás numa surpresa momentânea. Rin sendo tão pequeno, honestamente forte era o último adjetivo que pensaria em usar para descrevê-lo.

    Porém o tempo que havia se afastado fora o suficiente para que ele se levantasse, tossindo com uma cara patética e se fazendo de desentendido. Talvez o ariano sequer tivesse pensado em agredir o outro novamente depois daquilo, mas seu último comentário fez o rapaz estreitar os olhos perigosamente, sentindo o corpo começar a tremer a medida que a ira crescia a cada segundo. Ele não ousara. Depois de tais palavras, literalmente se jogou em cima do menor de modo que ambos fossem ao chão, então aproveitou a posição por cima para lhe agarrar o cabelo com uma mão, puxando com força enquanto com a outra segurava seu rosto, afundando as undas em sua pele. O que você acha que sabe, pra falar de mim, huh? Você é tão cínico.. que... Você não.. ARG O mais novo exclamava, se embolando com as palavras ao passo que todas as emoções ruins que sentia, fosse raiva, fosse frustração, fosse ódio, fosse revolta ou até mesmo toda a tristeza que guardava dentro de si mesmo em relação a Nero lhe subissem a cabeça, nublando seus pensamentos até que grossas lágrimas se formassem no canto dos olhos e não conseguisse mais se expressar adequadamente. Odiava aquilo, odiava ele. Se pelo menos o moreno tivesse se resolvido, se pelo menos ele gostasse tanto de alguém que não era esse tipo de babaca que tinha abaixo de si, Heike não se sentiria tão mal. Ele só queria aquele indígena escroto feliz, isso era pedir muito?

    Desgraçado... Grunhiu, puxando a cabeça do outro e a batendo com força contra o chão, forçando seu corpo contra o alheio para impedi-lo de se debater. Por que você deu esperança pra ele, se veio se esfregar no Harold de novo? Ele não fez.. Não fez nada contra você...
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 290
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Rin Damien em Sab Mar 21, 2015 8:38 pm

    Amaldiçoara sua própria capacidade de piorar a situação assim que vira Heike se jogar pra cima de si, não tendo qualquer oportunidade pra desviar do ataque. Novamente suas costas foram ao chão – se sentia velho antecipadamente pela dor futura que aquilo poderia causar – desta vez com uma pessoa enfurecida por cima. Estreitando os olhos, tentava superar a dor de ter seus fios de cabelo puxado para ouvir o que era dito, lentamente percebendo que o mais novo continuava a não fazer sentido algum naquela situação. Rin não entenderia o porquê daquilo, e sair dela era uma opção cada vez menos viável. Heike era maior e tinha mais experiência com brigas, enquanto ele próprio nunca fora alguém violento.

    Estava a meio caminho de tentar empurrá-lo, mesmo com poucas chances de sucesso, quando sua cabeça foi puxada e empurrada diretamente para o chão. Pode ouvir o barulho alto do baque direto, e sua mente imediatamente nublou-se, uma tontura imediata se fazendo presente, acompanhada por uma sensação latejante constante em seu cérebro. Se perguntou, por um breve momento, se Heike queria mata-lo ou deixa-lo com alguma consequência permanente naquela briga. Não tentava mais reagir, a visão embaçada e audição captando que algo parecia ser dito, porém o menor não tinha a mínima chance de entender. Não era como se as palavras fossem fazer algum sentido, se consolou, conformado. Só lhe restava encarar a face acima da sua, não sabendo se deveria esperar mais dor ou se ficaria consciente por muito mais tempo.
    avatar
    Harold Wilhelm
    Capricórnio

    Mensagens : 163
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Idade : 22

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Harold Wilhelm em Sab Mar 21, 2015 9:26 pm

    Confirmou finalmente sua dúvida quando Rin foi arrancado debaixo de seu braço e ofendido de uma série de coisas. Imaginando aonde aquilo ia dar, Harold sorrateiramente se inclinou para frente e tirou o notebook de cima da mesa de centro, colocando-o em segurança no próprio colo. O que foi a atitude mais sensata que poderia ter tido, visto que o soco desferido no mais velho do recinto o jogou por cima do móvel decorativo, derrubando todo o tipo de coisa que havia em cima dele. Pelo menos, nada que se quebrasse, graças ao tapete amortecendo a queda. Podia jurar que durante o som das coisas – e Rin – caindo ao chão, a televisão soltara um Pentakill por conta da partida do jogo, que já estava na metade. Curioso que foram mais quatro objetos derrubados, mesmo. Encarou a tela por alguns instantes, franzindo o cenho por conta de uma jogada seguida meio idiota para um profissional que competia e criticava-o mentalmente. Virou primeiro a cabeça em direção aos outros dois, podendo escutar Rin responder a Heike de uma forma que o fez pensar. ... Ele sabe sobre Zion? Indagou-se, prestando um pouco mais de atenção nos dois, assim que Heike avançou no menor com uma fúria que já havia conhecido na própria pele há alguns anos.

    Ouvir o rapaz se embolar nas palavras fez o albino arquear as sobrancelhas, enquanto ambos permaneciam ao chão, Rin à mercê de Heike. Cara, que loucura... Pensou aleatoriamente, enquanto analisava a bagunça feita em menos de cinco minutos na sala, até encarar um ponto fixo no chão. Vermelho. No branco do tapete. Sangue. Sujando uma quantidade de dinheiro que Harold nem se lembrava mais de quantos números tinham, só naquele tapete.

    OH, HELL NO. — Alterou-se, levantando num pulo, largando o notebook no sofá e encaixando ambas as mãos violentamente nos ombros de Heike, puxando-o para longe de Rin e jogando-o na direção oposta, como um saco de batatas. Pegou a gola da camiseta do loiro menor, provavelmente zonzo pelo baque que levara na cabeça, e o arrastara deitado para fora do tapete, até que ele ficasse em cima do puro piso frio. — Vão sujar a casa do caralho. Cada meio centímetro quadrado desse lugar ultrapassa a vida de vocês dois somadas, seus filhos da puta. Se estragarem alguma coisa, vou consertar com a cara de vocês. — Metade do que ele dizia não fazia o menor sentido, mas acalmou-se assim que conseguiu separar a briga em prol de um bem maior. Puxou Rin para cima pela camisa, forçando-o a ficar de pé. — Limpe esse sangue.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Zionga em Sab Mar 21, 2015 10:12 pm

    Almoço especial na casa da família, Arthemis saindo com o armário de nome estranho e o seu jogo bugando. Definitivamente Zion não tinha um bom pressentimento para os acontecimentos daquela tarde. Ou talvez fosse realmente só pelo jogo ficar bugando mesmo, fazendo aquele maldito dragão aparecer na rota que não era para ter um dragão. Estava quase tacando o controle longe junto com a plataforma, quando Heike começou a gritar no andar de baixo. Não estranhou a principio, o amigo sempre gritava, era tipo a marca registrada do babaca. Porém, logo depois pensou que seria melhor ver o que estavam aprontando do que ficar se irritando com um bug danado.

    Desceu as escadas correndo, quase caindo e rolando pela mesma quando se deparou com a situação entre Heike, Rin e Harold. Na verdade, sendo mais especifico, Heike enchendo o Rin de porrada. Soltou uma risada que praticamente dizia "bem feito" ao ver o loiro baixinho apanhar. Definitivamente estava mais legal do que o jogo bugando. Encarou o irmão sem precisar perguntar muita coisa, praticamente entendendo toda a situação ali, já que sabia tanto da história do amigo quanto do irmão envolvendo o estudante de medicina. Em sua visão, ele merecia e não iria interferir, mesmo que não fosse complicado parar Heike.

    Pulou as costas do sofá, sentando sobre a mesma de forma que não caísse para trás e ainda pudesse observar o UFC ao vivo de camarote. Pelo menos, até Harold dar chilique pelo tapete e separando os dois. — Na prosemais, compra um tapete vermelho pra não ter mais problema, bro. — Sugeriu, como se a briga não fosse nada demais, mas decidiu não deixar ela totalmente de lado. — 'Cês precisa dar um jeito nessa tesão sexual mal resolvida. Sem violãocia, apesar de não ser tão legal. Proveite que o Rin vai só ouvir enquanto limpa sá josta ai. Heike devia começar, que tal? Tipo terapia dos alcoílico âmonimo, fala o que tincomoda no tapado ai. — Gesticulava quase tudo que falava com a mão, uma mania pelo costume em usar linguagem de sinal. Não mudou sua posição do sofá nem um minuto sequer e nem pretendia fazê-lo. Iria tentar ser só o cara que marca a reunião dos anônimos, só que dessa vez, com prováveis problemas sexuais.
    avatar
    Arthemis W.
    NPC

    Mensagens : 53
    Data de inscrição : 10/12/2014
    Localização : Na cova

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Arthemis W. em Sab Mar 21, 2015 11:19 pm

    Havia dias que pensava naquela maneira de socializar, já que há tempos não fazia de uma maneira pacífica que não acabasse em constrangimento. Resolvera convidar as pessoas mais próximas para um almoço de domingo, dando a ideia a Nero para que ele também pudesse planejar sua primeira refeição de grande porte. Afinal, mesmo que não fossem tantas pessoas, a maioria comia bastante. Deixou que o rapaz, mais experiente no assunto, sugerisse o que pudesse ser feito e no dia seguinte bem cedo, pegara o carro até o supermercado mais próximo, junto a Nero. Por surpresa, Rin havia chegado um tanto mais cedo e achou que seria uma companhia agradável num processo que poderia ser um pouco monótono, sabendo que o moreno conhecia seu amigo. Mas, no fim das contas, rezou para que o loiro ficasse bem na companhia de Harold e Zion e mais tarde, Heike, que sabia que também iria, por convite de Nero. Ela mesma o convidaria, se não tivesse perdido a vez para o maior.

    As compras foram tranquilas, já que sua comunicação com o mais novo era extremamente harmônica e não tinham desentendimentos. Sugestões eram sempre bem vindas para ela e às vezes perguntava sobre diferença de ingredientes que não fazia a menor ideia. Algumas coisas não encontraram em um lugar só, então precisaram ir para outros até recolherem tudo o que era preciso. Porém, em cada fila de caixa, recolhia alguns doces que sempre tinham em estoque. Sabia que Zion gostava e quase sempre comprava para o mais novo por hábito. E comprava bastante, pois sabia que seriam divididos com seu caçula. Logo voltaram para o carro, Nero com a maior parte das sacolas e só não todas, porque Arthemis insistiu o suficiente até que conseguisse dividir algumas com o maior.

    A mesma dificuldade foi evitada quando chegaram, pois tiveram a ajuda dos outros empregados para levarem as compras até a cozinha, onde Nero poderia começar a preparar tudo. Já acostumada a andar para lá e para cá por conta de suas tarefas como residente no hospital, a garota não se cansou tanto na manhã de compras, mas ao entrar na enorme casa pela entrada principal, caminhar um pouco até a sala mais próxima e ver a cena que ali acontecia... Aquilo lhe subiu um enorme cansaço mental. Como pegara o assunto no meio, não entendia exatamente a que Zion se referia ao terminar a fala, sentado sobre as costas do sofá. Harold particularmente irritado, já que não estava com sua costumeira expressão de desprezo, Heike completamente alterado e Rin ferido. Além de, é claro, muitas coisas no chão, que não deveriam estar lá. Achou que talvez seria mais urgente ver o caso de seu amigo, então não cumprimentou ninguém antes de disparar pela sala, soltando a bolsa no sofá e segurando os braços de Rin cuidadosamente, buscando o olhar dele, que parecia perdido e zonzo.

    Rin? Você está bem? — Quase retórica, pensou nas mil possibilidades do que poderia ter gerado aquilo. Ainda sem soltar o rapaz, direcionou o olhar a Harold e em seguida a Heike, vendo-o chorar. Preocupou-se mais ainda, já sabendo que aquilo tudo seria bem complexo de resolver. Pensou em perguntar a Zion o que havia acontecido, mas pelo que ouvira ele dizer assim que chegara, não sabia muito mais do que ela. Dirigiu-se então a quem provavelmente lhe diria as coisas mais diretamente, tanto pela situação que se encontrava, como por provavelmente ter sido o responsável. — Heike, pode me explicar o que houve? ... Quem machucou o Rin? — Perguntou calmamente, procurando fazer com que ele não se sentisse acusado. E realmente, só procurava nada mais do que entender o cenário no local. Heike estava péssimo e mesmo que aquilo não fosse anormal para a personalidade dele, não era razão para deixar de lado. Afinal, ela também o considerava parte de sua família.
    avatar
    taurusnero
    Touro

    Mensagens : 170
    Data de inscrição : 26/02/2014

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por taurusnero em Dom Mar 22, 2015 4:55 pm

    Era engraçado notar como o ritmo das coisas podiam mudar de uma hora para outra. Nero, se lembrava bem, passara uma manhã relativamente calma, buscando os ingredientes que precisaria para o almoço que Arthemis sugerira, e com a companhia da mesma para o distrair e auxiliar. Passaram por diversos locais, compararam a qualidade dos alimentos que comprariam, e tiveram uma discussão saudável sobre quem levaria o quê das compras - e às quais poderia ter carregado sozinho, se não fosse a insistência da mais velha. Não estava preparado, no entanto, para se deparar com a cena que corria na mansão dos Wilhelm. Não era algo que veria normalmente, já que passara direto para cozinha com parte do que haviam comprado, porém, havia algo que precisava questionar à sua patroa... E coisa tal que esquecera completamente no momento em que entrara no outro cômodo.

    Foram segundos que pareceram uma eternidade sob a visão do moreno. Seus olhos correram por cada canto da sala, prenderam-se nos moradores do local, em Rin jogado e sendo auxiliado por Arthemis, antes de caírem em Heike... Piscou, adiantando seus passos ao loiro que chorava, indiferente ao fato de ser bastante fácil compreender o que ocorrera ali. Sua mão pousou sobre ombro do amigo, seu olhar buscando sua face, tentando compreender os motivos para ele estar tão alterado, mas tudo que queria era tentar acalmar o rapaz, ainda que não soubesse exatamente o que fazer. Heike, o que- Porém fora interrompido pela única mulher presente, a questão dela soando em um tom muito mais suave do que o que usaria, já que estava repleto da mais pura preocupação. Então apenas esperou o mais novo responder, a atenção sempre focada no mesmo.
    avatar
    Harold Wilhelm
    Capricórnio

    Mensagens : 163
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Idade : 22

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Harold Wilhelm em Dom Mar 22, 2015 9:11 pm

    Sua breve alteração não durou mais do que o tempo que levou para falar, podendo notar agora Zion chegar e se pronunciar de maneira divertida com a situação. O albino postou o sorriso debochado no rosto novamente, esperando que Heike ou espancasse um dos dois, ou gritasse pra responder o ruivo, ou tentasse voar em Rin de novo. Nada aconteceu, claro, pois Arthemis entrou do nada na sala, indo em sua direção e servindo de auxílio a Rin, pra depois ser seguida por Nero.

    Como muitos ali pareciam estar confusos sobre tudo e provavelmente Heike não estaria em condições de responder nada – pela cara dele ao ter a presença do índio adicionada ao lugar –, resolveu que responderia no lugar dele.

    Heike brotou na sala batendo no Rin por razões obscuras. — Acusou, assumindo uma postura erguida e apontando para Heike, como uma criança do jardim de infância acusando o coleguinha pra professora. Mas em seguida voltou a relaxar mais uma vez, guardando a mão esticada no bolso da calça, junto com a esquerda no moletom. Suspirou e antes que qualquer um conseguisse continuar o assunto tenso, resolveu que daria a todos ali boas razões para se envolverem como um todo.

    Há tempos Harold guardava para si mesmo informações que acaba descobrindo sem querer. Umas por seu irmão adotivo, outras por sua primogênita, outras por observação e por conseguinte, acabou tornando-se a águia que observa acontecimentos silenciosamente de cima da montanha, sem se envolver com nada. Exceto por Rin.

    Mas ver aquela confusão toda podendo se dissipar naquele momento – por conta da aura pacífica que Arthemis e Nero tinham martelado na tensão – e que, com certeza, continuaria por um longo tempo, pois eram todos um bando de imbecis que não sabiam se comunicar por coisas sem nexo, como vergonha, medo, comodismo e conformismo. Então, a águia desceria de sua montanha para gritar o que sabia aos equinos sem cérebro, que só sabem relinchar.

    Mas, talvez tenha sido pelo ciúmes que ele tem de Nero, afinal, já faz um tempo que quer dar pra ele. Não é Heike? Mas é uma pena que na verdade Nero tenha uma queda... Ou um precipício... Por Rin, sendo que até já transaram, mesmo que tenha sido por acidente. E o mais triste ainda seria Rin gostar de mim, mas não dá pra ter tudo na vida, né. A parte engraçada, é Arthemis não saber de nada disso e ainda assim convidar seu amiguinho pra festa, porque ela é burra e nunca sabe de nada, né. Tanto não sabe de nada, que nunca percebeu que Zion quer comer ela desde descobriu como se masturba. Mentira, foi antes disso, não foi, Zion? Mas acho curioso que soube muito bem consolar Heike a ponto de quase se comerem... Mesmo estando na situação em que estão. Bela forma de auto-consolação, eu admito. Você poderia tentar se consolar com a Arthemis também, Heike. Ela gostava de você até onde me lembro, não é... Maninha? Mas de todo jeito, acho que as razões dessa briga escrota de agora estão por aí: no meio disso tudo. Reflitam e vocês acham, com certeza. — Sorriu, de maneira tão gentil que parecia que tinha ajudado todas as crianças da África com apenas aquelas palavras. — Agora com licença, que eu não quero participar disso. E não sujem nada, cuzões. — Disse para finalizar, indo em direção a saída da sala, que conectava ao hall e saía pela porta principal da mansão, finalmente caindo na gargalhada.
    avatar
    taurusnero
    Touro

    Mensagens : 170
    Data de inscrição : 26/02/2014

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por taurusnero em Dom Mar 22, 2015 10:41 pm

    Talvez fosse pelo desespero em tentar acalmar Heike, que Nero se viu incapaz de entender a primeira frase de Harold de imediato. Piscou, demorou um instante mínimo para decifrar os dizeres, e, enfim, compreender o que havia acontecido ali - ao menos em parte. Seu amigo havia agredido Rin, certo. Mas por que? E não precisou se perguntar por muito mais tempo, já que a resposta vinha através do tom característico do albino.

    Em silêncio, e sem saber realmente como reagir à própria confusão, o índio fitou o albino com os lábios levemente partidos, boquiaberto e incerto sobre a veracidade da maioria das informações que ele passava. Aliás, tentava ao máximo processar tudo que era dito, ainda que parecesse ter perdido um fusível ou dois no meio do processo, sua mente ainda mais lenta que o convencional, e cheia de interrogações, as quais pareciam aumentar com o passar do tempo. No entanto, a primeira, e mais marcante, fez com que lançasse o olhar perdido na direção do loiro que ainda amparava, os olhos se escondendo brevemente em um piscar confuso, antes que deixasse a voz escapar em um tom tão distante quanto sua mente parecia estar. Você... Quer dar para mim...?!

    Porém, antes que Heike pudesse lhe responder, Nero voltou a piscar e pareceu que sua mente se iluminou o mínimo para entender um pouco mais do que fora dito ali. Harold sabia de muito mais de sua vida do que jamais pensara em contar ao albino. Sua expressão se torceu, mais confusa que outrora, seu olhar ainda firme no amigo, como se se recusasse a fazer a única ligação possível ali. Se Harold sabia o que acontecera, a única pessoa que poderia ter contado... Engoliu em seco, ainda tentado a ignorar a voz que acusava Heike em sua mente. Mas não demorou para que acabasse reagindo, suas mãos se afastando lentamente do corpo menor, para que caíssem aos lados do próprio. E, sabia, era a segunda vez, em pouquíssimo tempo, que carregava um olhar magoado... Apesar de ser a primeira vez que o mostrava para o culpado pelo mesmo.

    Com um passo para trás, lançou um olhar breve para todos os presentes, demorando-se em Rin -finalmente se dando conta de que ele também ouvira tudo -, antes de descer a atenção para o chão, e, após, focar Heike mais uma vez. Respirou fundo, a mão grande se afundando nos próprios fios de cabelo, até que, enfim, se pronunciasse com a voz baixa e incerta. Eu... Vou fazer o almoço. E saiu do aposento a passos arrastados, sem dizer mais nada.
    avatar
    Heike_Walker
    Áries

    Mensagens : 171
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Localização : Na casa do caralho

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Heike_Walker em Seg Mar 23, 2015 12:11 am

    Antes que pudesse machucar Rin de verdade, Heike sentiu um puxão e por um momento ficou desorientado quando a gravidade agiu contra a força de Harold e o jovem foi parar no chão perto do sofá. Piscou e se levantou irritado, pronto para enfiar o amigo no meio da briga quando Arthemis saiu de lugar nenhum e passou voando na sua frente até Rin.

    Parando onde estava, olhou sem conseguir registrar muito bem o que acontecia. A cabeça latejava dolorida e aos poucos a raiva foi se apagando, até que de repente Nero surgiu a sua frente, fazendo-o arregalar os olhos em surpresa. Abriu e fechou a boca algumas vezes, sequer tendo ideia do que falar, o rosto ficando vermelho e as lágrimas agora um pouco mais frequentes num ato involuntário do próprio corpo pelo nervosismo. O corpo parecia parecia paralisado e o ariano mal registrou a pergunta de Arthemis, focando os olhos apenas na expressão preocupada de Nero. O que iria falar? Como poderia dizer que havia machucado o cara que ele gostava? Como ia explicar o motivo de ter feito tal coisa? Não estava preparado para tal coisa, não tinha pensado na possibilidade dele aparecer ali. Tentou dizer algo novamente quando foi interrompido.

    E a voz que soou na sala silenciosa causou um arrepio ruim no corpo do loiro, que virou o rosto lentamente para sua direção. Harold.

    O tempo pareceu parar a medida que o albino começou a falar o que pensava naquele usual tom de deboche e todos na sala ficaram em silêncio completo, mesmo depois que ele saiu. Sua risada já distante foi o que trouxe o jovem para a realidade, e por um momento praguejou desejando que tudo aquilo não passasse de um pesadelo. Tendo o coração acelerado enquanto tentava assimilar tudo o que fora dito, o loiro sequer chorava mais. Com o corpo suando frio e respirando rápido num nervosismo pior ainda, quase teve um acesso de tosse ao se engasgar com saliva quando Nero finalmente olhou em sua direção, parecendo surpreso e confuso ao perguntar aquilo. Se pudesse entrar em combustão instantânea, era o que teria acontecido ali naquele momento. Sequer conseguia buscar orgulho o suficiente para empinar o rosto e assumir suas vontades, não teria vergonha disso, afinal sexo e sentimentos eram coisas diferentes e quanto aos últimos pelo menos estavam bem guardados dentro de si.

    Mas novamente, antes que pudesse abrir os lábios, parou onde estava ao ver a expressão de Nero mudar de curiosidade para surpresa e então decepção, afastando-se lentamente. Não foi difícil para o jovem assimilar o que estava acontecendo ali. Nero fora completamente exposto, feito de idiota na frente de todos, na frente do cara que gostava, logo num dos primeiros dias de seu novo emprego. Com o coração doendo, logo os olhos do ariano se encheram de lágrimas novamente e a respiração foi presa junto com a capacidade de reagir ao que ocorria. Não. Não podia estar acontecendo. Deu um passo a frente de forma hesitante ao ver o outro olhar ao redor, mas acabou recuando novamente quando de novo foi alvo de um olhar tão machucado. N-Nero... Chamou num fio de voz, sentindo algo ser quebrado por dentro quando ele saiu dali sem olhar para trás. Não, não, não! Não era pra isso acontecer. Não PODIA acontecer. Havia falhado com Nero e agora o taurino provavelmente o odiava.

    Começando a respirar ainda mais pesado, mal se deu conta de que as lágrimas agora corriam soltas e que as mãos tremiam de maneira visível. Não conseguiria encarar Nero nunca mais, não conseguia pensar em nada. Apenas saber que havia decepcionado o outro, que tinha machucado e quebrado sua confiança já parecia ser o fim para o loiro. Deixando uma risada baixa escapar, continuou sem conseguir se conter, enquanto tentava limpar as próprias lágrimas com brutalidade até estar gargalhando. Isso tudo não tinha acontecido, certo? Talvez estivesse tendo um ataque de pânico ali.

    Num movimento brusco, derrubou uma mesa com enfeites que estava próxima e praticamente voou para cima de Zion, socando-lhe o rosto com toda a força que tinha uma única vez. Valeu por abrir o bico, seu cretino desgraçado de merda... Me lembra de não confiar mais em você Sussurrou entredentes com toda a raiva que tinha ao agarrar os fios ruivos, empurrando-o para o lado e então se direcionando para sair do local sem olhar para trás. A mesma tristeza que Heike sentia por Zion ter contado para outra pessoa algo que havia confiado só a ele, sabia que era o que Nero sentia agora. E o buraco no peito só fazia com que se sentisse mais e mais miserável, desesperado.

    Estava ferrado. Sua vida era um lixo. E precisava mais do que tudo quebrar alguma coisa.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 290
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Rin Damien em Seg Mar 23, 2015 1:26 am

    Pra quem não estava conseguindo captar qualquer informação e se conformara em continuar sendo vítima da irracionalidade alheia, finalmente lembrou-se que havia outra pessoa na sala ao ter o peso retirado de cima de si e o corpo arrastado para o lado, para logo ser levantado.  Sentia que o ambiente não parecia exatamente em seus eixos, mas a pulsação em sua cabeça diminuía lentamente – apesar de pontadas doloridas ainda estarem presentes, e não só nela – de modo que ao menos conseguia ouvir e ver o que acontecia de forma mais clara, e, o mais importante, pensar. E no momento, seus pensamentos estavam apenas irritados, se perguntando por que diabos Harold não havia interferido de alguma forma na situação. Não por ter uma queda nele ou por serem amigos, mas por ser algo que qualquer ser humano decente faria. E se lembrava que, é claro, o albino não era um.

    Ignorou completamente a presença de Zion no ambiente, e ao se sentir suficientemente estável, teve a intenção de ir ao banheiro limpar o sangue, algo que fora completamente interrompido pela entrada de Arthemis na sala, seguida de Nero. – Poderia estar melhor. – Murmurou, com sinceridade. Ela cuidaria perfeitamente bem da situação tensa, e esperava que talvez à sua amiga Heike desse uma razão concreta para a violência gratuita. No entanto, alguém tinha que interromper o pequeno momento de paz com algo exageradamente desagradável. Permaneceu estático ao ouvir a série de palavras que saía da boca de Harold, contando fatos – os seus sendo verdade, imaginava que os outros também fossem – que provavelmente ninguém queria que qualquer um ali soubesse.

    Demorou para absorver tudo o que era dito, focando em algo que, repentinamente, esclarecia tudo o que acontecera anteriormente. Nero tinha algo por si. Era como se um grande peso fosse depositado em seu peito ao ter aquela informação. As situações que passara com o moreno e que o mesmo havia visto, e a gentileza que tinha demonstrado todas as vezes, quando deveria ter sido o inferno, se aquilo era verdade. E Heike, sendo próximo do outro, provavelmente sabia de tudo. Sabia que falara que estava superando Harold, e agora Rin compreendia o que aquilo poderia ter causado. Não sabia se o outro loiro tinha algum sentimento por Nero, mas só a amizade já seria o suficiente para compreender as reações do ariano ao ver os dois juntos no sofá, mesmo que fosse apenas o resultado de preguiça. No fim das contas, sentia como se quase houvesse merecido o soco e as palavras ofensivas, observando Heike descontar a raiva em outra pessoa. Porém, não merecia por causa dele. Era por Nero.

    Sua dor de cabeça parecia aumentar, e a própria irritação parecia se tornar raiva, ao menos, não direcionada a si mesmo. Alguma dela ia claramente para a falta de respeito de Harold com todos ali, contudo, não era hora de focar naquilo. Sobre aquele assunto, tomaria uma decisão depois. Voltou o olhar a Arthemis, neutro, não se preocupando em forçar qualquer sorriso. Ninguém ali de estava feliz, e ela também havia sido afetada diretamente, assim como sua dinâmica com várias pessoas intimas também seria. – Não tem nada aqui que eu não consiga cuidar, Arthemis. – Comentou, sem nenhuma emoção no tom, sobre a própria situação. – Acho que vocês tem coisas pra resolver, e acho que não vou ajudar muito nisso. Desculpe, mas me vou por hoje. – Depositou brevemente a mão que não se encontrava suja no ombro da albina e se virou, saindo do aposento e indo em direção ao banheiro mais próximo, conseguindo limpar o sangue das mãos e do rosto relativamente rápido. Nada havia sido quebrado, porém iria passar no hospital por precaução, para checar se não havia tido alguma concussão com o impacto na cabeça. Silenciosamente, saíra da casa, planejando não voltar a ela por um longo tempo.
    avatar
    Zionga
    Aquário

    Mensagens : 62
    Data de inscrição : 07/03/2014

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Zionga em Seg Mar 23, 2015 8:23 pm

    O sorriso peralta que Zion carregava nos lábios pela situação não demorou a ser trocado quando Arthemis e Nero entraram no local. Agora o curvar de seus lábios expressava mais um pedido de desculpa por não ter feito muita coisa perante o problema. Porém sabia que Arthemis o conhecia os suficiente para entender que sua personalidade não prestava muito para ajudar os humanos individualmente, principalmente se o individuo em questão a sofrer fosse Rin.

    Ainda em uma localização privilegiada, não pode deixar de rir com a acusação infantil do irmão mais velho. Entretanto tanto o riso e o sorriso foram morrendo aos poucos graças a continuidade na fala e explicação alheia. Conhecia Harold há tantos anos e o mesmo nunca havia feito algo em tal nível, por tal motivo sempre confiara no irmão para conversar sobre tudo, incluindo segredo dos outros. Sabia que não era uma atitude legal sua, mas nunca houvera problema com o albino que até o ajudava com soluções para favorecer a pessoa dona dos segredos.

    Ouvia tudo calado, como todos. Porém, diferente do resto, mantinha a cabeça baixa se sentindo o culpado por boa parte das revelações ali. Não tratou de levantar o olhar nem quando ouvira revelações da qual não sabia sobre Arthemis. Tudo o que fazia era cerrar os punhos, cada vez com mais força, chegando até mesmo a machucar um pouco da palma da mão. Sua respiração ficou um tanto quanto alterada, difícil de ser executada, mas nada iria fazer contra seu irmão, ou qualquer outro ali. Por isso recebeu os golpes e Heike sem mover-se um dedo sequer. A única movimentação feita foi a de cair no chão junto ao sofá, força exercida verdadeiramente pela gravidade.

    Ao receber o soco, uma das hastes de seu óculos acabou por quebrar, machucando um pouco de seu rosto. Mas nem mesmo a mínima dor do pequeno ferimento fez o ruivo se mexer. Só exerceu o ato quando o melhor amigo aparentemente retirou-se do local. Agarrou o óculos quebrado e o jogou longe, terminando-o de quebrá-lo.

    Antes que pudesse ser socorrido por Arthemis, aproveitou a atenção que Rin conseguia dela para se levantar subir as escadas com pressa e passos pesados, preparado pra se trancar o resto do dia no quarto com o bug do dragão. Iria descontar a raiva, frustração, vergonha, falta de coragem e muitas outras coisas no jogo que antes havia desistido. A verdade era que Zion, como sempre, devia ter confiado mais nos seus pressentimentos. Se algo lhe dizia que a tarde não seria bom, devia acreditar.
    avatar
    Arthemis W.
    NPC

    Mensagens : 53
    Data de inscrição : 10/12/2014
    Localização : Na cova

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Arthemis W. em Ter Mar 24, 2015 7:39 pm

    Deveria imaginar, é claro, que seu irmão sendo como era se daria o direito de responder pelos outros. O que não imaginava, era que ele procederia completamente de súbito com coisas absurdamente constrangedoras sobre todos ali – se fosse tudo verdade realmente. Sabia bem como era a personalidade de Harold, para entender que ele tinha sua própria forma de ver as coisas. Como não se abalava com nada, se achava no direito de dizer o que queria esperando que entendessem e acatassem seu ponto de vista. Mas o que ele pretendia com tudo aquilo? Apenas ser desagradável? Não seria surpreendente, mas Arthemis ainda acreditava que o irmão tinha seus motivos. O que não mudava sua perplexidade com a série de coisas que ele começava a dizer, de uma gravidade grande demais para a velocidade com que estavam sendo jogadas pra fora. A garota até mesmo levou um tempo para assimilar o que o começo significava, mas quando compreendeu, abriu a boca para esbravejar e impedí-lo de continuar, até ouvir sobre Zion e Heike. A possibilidade de ser mentira – apenas uma brincadeira de muito mau gosto, como muitas outras vindas dele – foi a primeira opção a lhe vir em mente. O que deixou de ser uma, assim que a próxima frase era algo que sabia sobre a veracidade, afinal, era sobre ela. Algo que havia revelado à Harold sem querer, por descuido próprio, há muitos anos atrás. E seu irmão mesmo quando criança ainda tinha uma capacidade de observação, que mesmo na época sendo muito menor, fora suficiente para juntar peça por peça e descobrir o segredo da irmã sem que ela mesma verbalizasse sobre. Porém, confiou nele e nunca temeu que aquilo fosse ser cuspido da forma como estava sendo. Sentindo-se perdida e completamente sem chão, abaixou o olhar para um ponto aleatório, perdendo a coragem de encarar até mesmo Rin que estava bem ao seu lado.

    Acompanhou com o olhar o caçula se retirar do recinto, começando a sentir o corpo pesar, de uma forma que parecia querer se afundar para baixo da terra. O baque do soco de Heike e do corpo de Zion se chocando contra o chão a despertou de um curto transe, tendo o primeiro impulso de ir ajudar o mais novo. Mas suas pernas paralisaram. Engoliu em seco, sentindo os olhos umedecerem quase de súbito, assim que percebeu que não queria olhar no rosto do ruivo naquele momento enquanto via Heike se distanciar. Seu estômago parecia estar sendo queimado e sentiu como se uma lança tivesse sido fincada bem entre suas costelas, assim que se deu conta de que estava magoada o suficiente para agradecer que Zion tivesse corrido dali. Se sentia confusa, mesmo que todos os fatos estivessem a sua frente. Se sentia traída, mesmo que não houvesse lógica nisso. E se sentia extremamente culpada, mesmo que se sentisse abandonada também. Além de, é claro, estar se sentindo completamente idiota por tudo o que sua boa intenção havia se tornado. Poderia estar extremamente feliz por saber que o rapaz retribuía os sentimentos que escondera por teme-lo tanto, mas outros fatores impediam que qualquer resquício de satisfação acendesse. Fatores estes que seu cérebro começara a imaginar como acontecera e só pela sensação que causara teve vontade gritar, desesperar-se e desistir de tudo. Mas continuou ali parada, como se tudo o que estivesse sentindo não passasse de mera perplexidade. Desviou o olhar para o chão, balançando a cabeça afirmativamente para o que Rin dizia, antes dele também se retirar.

    Nero tinha sido o primeiro a sair dali e ninguém mais dava o próprio ar da graça no largo e vasto cômodo. Sobrando apenas a albina, parada no mesmo lugar, encarando a mesa vazia, com todos os seus objetos espalhados pelo chão. Quase limitando a própria respiração para que tivesse a certeza de que estava sozinha, não se permitiu chorar até suas últimas forças. Não ouvia mais nem os passos dos empregados e todo o ambiente parecia ter morrido, estando apenas Arthemis no meio de todo aquele ambiente intensamente vazio, com todas suas frustrações esfaqueando-a por todo o corpo. Teria muito o que pensar e resolver, sabia. Mas naquele minuto, apenas conseguiu dar quatro lentos passos até alcançar o sofá, sentando-se e cobrindo os lábios com ambas as mãos, da mesma forma que fechara com força os olhos molhados. Como se aquilo fosse abafar o seu choro.

    Conteúdo patrocinado

    Re: [#14] Treta de novela mexicana

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sex Out 20, 2017 6:50 am