Fórum RPG somente para jogadores dentro o grupo. Caso tenta interesse em entrar, entre em contato com a administração.


    [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Compartilhe
    avatar
    Harold Wilhelm
    Capricórnio

    Mensagens : 163
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Idade : 22

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Harold Wilhelm em Qua Jun 03, 2015 9:21 pm

    Foi fácil. Rin parecia ter ficado tenso ao ter percebido do que o filme se tratava, mas logo relaxara e concordava em assistir. O albino estreitou o olhar, levantando uma das sobrancelhas e fitando desconfiado o loiro se mexer, para colocar o prato na mesa. E realmente o fez. Mas no intervalo de tempo em que viu Poe dar um salto pra tentar pegar os cabos que conectavam a TV no notebook, foi o suficiente para abaixar a guarda sobre Rin e o menor escapar mais rápido do que achou que ele fosse capaz. Estava fácil demais pra ser verdade, claro. — Ah, não vai, não! — Levantou rápido atrás do outro, mas logo viu que não precisaria se cansar tanto assim. O gato preto com nome de filósofo se dera o trabalho e o sacrifício de quase ser esmagado por Rin, parando o mesmo. Que realmente pareceu esquecer de qualquer coisa para se desculpar com o bichano. O albino permaneceu parado atrás de Rin, esperando o diálogo de família terminar, quando se cansou e soltou um suspiro alto pela boca.

    É, vai ser daqui a pouco, mesmo. Quando o filme acabar, porque não vou te deixar sair de novo até lá. — Respondeu pelo gato, abaixando e entrelaçando os braços pela cintura do loiro. Não foi difícil levantá-lo a sua frente e tirá-lo do chão tendo o prendido por ali. Virou-se com o mais velho preso a si e agradeceu a Nie pela cooperação involuntária, por cima do próprio ombro.

    Voltou ao sofá, jogando o próprio peso somado ao de Rin, que não largara, deixando-o no próprio colo onde ele não teria como fugir, definitivamente. — Como castigo pela gracinha, você vai ficar até terminar. — E afastou as pernas uma da outra, até que o loiro escorregasse e coubesse sentado entre as mesmas. Afrouxou minimamente os braços – ainda prendendo o rapaz –, apoiando o queixo na cabeça alheia e agora se ocupando em finalmente avaliar se o filme seria capaz de assustar Rin, ou não. Haviam perdido algumas cenas iniciais, mas nada importante, pelo visto. Uma casa abandonada no meio do mato, que Harold esperava não ter nada clichê no que viria a acontecer a partir dali. Mas ao menos nisso, confiava no gosto da irmã.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 290
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Rin Damien em Qua Jun 03, 2015 10:38 pm

    Só não amaldiçoou o gato à sua frente porque não era capaz de tal ato com o próprio bicho de estimação; então apenas teve vontade de bater a cabeça na parede ao ouvir a voz de Harold atrás de si, lembrando-o do porque correra e tropeçara. Sequer deu tempo de tentar levantar-se para correr, sentindo-o ser preso e carregado contra a própria vontade e se perguntando se havia qualquer possibilidade de sair da posição em que se encontrava. Logo após acabara no colo do outro, entre as pernas alheias e imobilizado de modo que seria obrigado a assistir algo que não estava nem nunca estaria no mínimo humor de ver. Refletiu se tentar um último apelo – contar a história do hospital – faria alguma diferença, mas decidindo que provavelmente ganharia apenas uma risada em resposta, resignou-se a encarar a tela à sua frente, em que nada demais parecia ter acontecido ainda. Era hora de outro plano.

    Fechando os olhos, se concentrou em tentar relaxar novamente, aproveitando a posição em que se encontrava para usar o corpo maior como travesseiro. Talvez conseguisse ignorar os sons, já que aparentemente o filme estava em um momento parado, e realmente tirar um cochilo. Plano que fora frustrado ao, na hora em que, presumia, a primeira coisa assustadora aparecia, o áudio fora repentinamente aumentado, o fazendo quase pular de susto e abrir os olhos imediatamente. – Certo. Meus ouvidos. Abaixe, eu vejo. – Resmungou, o mais longe possível de alegre que alguém poderia ficar.

    A história era aparentemente mais centrada no terror psicológico de pessoas não sabendo o que as estava perseguindo do que mostrando o que era em si. No entanto, os acontecimentos variavam de simplesmente assustadores para sangrentos e pesados, acabando lentamente com a sanidade dos personagens que passavam por aquilo. Entendível. A cada momento em que se assustava – que não eram poucos – além das exclamações óbvias de susto – que continha, a não ser que viesse repentinamente demais – se preocupava em acidentalmente dar algumas cotoveladas no albino, ou bater com uma força levemente exagerada na cabeça do outro com a sua em resposta às risadas alheias. Ele merecia.

    Ao final, apenas um dos protagonistas estava vivo, parecendo que teria esperança de se livrar do que quer que fosse no final das contas, para no fim o espectador descobrir que ele próprio era quem havia invocado os seres do além, que afinal vieram para pegá-lo. Com os olhos ligeiramente arregalados, olhava vagamente para os nomes que passavam nos créditos, sem saber o que pensar de tudo aquilo. Não gostara do filme. Odiava terror. Odiava aquela pessoa que o fizera ver um filme idiota de terror. Se mexeu repentinamente ao ver algo pelo canto do olho, descobrindo ser apenas Poe correndo pela casa novamente. Sim, odiava tudo aquilo.
    avatar
    Harold Wilhelm
    Capricórnio

    Mensagens : 163
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Idade : 22

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Harold Wilhelm em Qua Jun 03, 2015 11:15 pm

    Satisfeito que o dono da casa finalmente parecia ter concordado – a contragosto, mas isso não vinha ao caso – em ficar onde o havia colocado, o próprio Harold relaxou e encostou as costas no sofá, esticando as pernas até que apenas os calcanhares ficassem em contato com o chão. Porém, o loiro pareceu ter feito o mesmo consigo, ao sentir o mesmo aconchegar tranquilamente as costas contra seu peito. O contato era agradável até, se não significasse algo que não estava nos planos de Harold. O albino franziu o cenho, olhando a raiz loira logo abaixo de seu queixo, inclinando a cabeça ligeiramente para o lado até que pudesse ver o rosto de Rin de perfil. De olhos fechados. O sacudir não surtiria efeito. Não que fosse permanente, ao menos. Poderia mordê-lo. A distância do pescoço de sua boca seria facilmente suprida se só abaixasse o rosto. Mas não queria constrangê-lo e sim assustá-lo naquele momento. Sutilmente, deslizou uma das mãos de cima do tronco de Rin, até alcançar o controle que estava próximo de si e aumentar o volume da TV consideravelmente. A cena de suspense havia começado e como quase todas, emitia pouquíssimos ruídos com um áudio baixo, para que a atenção fosse totalmente focada no que iria acontecer em seguida. E aconteceu um enorme baque seguido por um grito agudo da atriz, que na sequência, “acordou” quem Harold queria que ficasse acordado. Sorriu vitorioso assim que o rapaz pareceu convencido de fato de que o albino não iria deixa-lo escapar daquela. Mesmo se fosse pra dentro.

    Depois daquilo, a cada ápice de suspense do filme, o rapaz passava a prestar mais atenção em Rin do que nas cenas em si, adorando as reações tensas do loiro e se deixando rir à vontade daquilo. Tinha as risadas abafadas algumas vezes por cotoveladas no estômago e/ou cabeçadas diretamente no nariz, mas nada que fizesse perder a graça daquilo. Assim que o filme acabara, teria de agradecer a Arthemis por tê-lo recomendado. Havia sido bem mais engraçado do que qualquer filme de comédia que normalmente o fazia dormir. E assim que viu Rin reagir assustado pelo filhote passando pela visão periférica, a gargalhada de Harold ecoou pela sala, no meio da música tensa dos créditos do filme. O rapaz jogou o corpo para o lado, não sendo impedido pelo mais velho entre as próprias pernas pra isso.

    Calma, o gato não vai comer sua alma. Pffff — Disse fraco no que conseguia no meio das risadas, recuperando o fôlego bruscamente no meio e voltando a rir alto.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 290
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Rin Damien em Qua Jun 03, 2015 11:53 pm

    Achou que já havia se acostumado às risadas de Harold com cada susto que tomava, porém, com o filme terminado, o susto com o gato parecia ter sido o último golpe para mata-lo de vez. E, se não fosse, Rin teria a certeza de ajuda-lo com aquilo. – Poderia comer a sua, não é? – Fora apenas o tempo de abrir um sorriso irritado antes de pegar a almofada mais próxima e pressionar na cara do albino para ver se ele parava. Se resultasse em mais risadas, esperava que o objeto o ajudasse a perder o fôlego o suficiente. Claro, não iria realmente mata-lo, no entanto, queria que cada susto que sentira naquele filme doesse fisicamente no outro.

    Conseguira, ainda assim, se assustar novamente ao ouvir o barulho de outra coisa começando na TV, e voltou o olhar à tela para ver que um desenho japonês aleatório começara a passar no aplicativo. Tirando a almofada brevemente apenas para bater com força com ela na cara do mais novo, finalmente retirou-a, passando a abraça-la enquanto encarava a televisão, como se absolutamente nada tivesse acontecido. Não entendia muito bem o que se passava, já que perdera o que começo do que quer que fosse, entretanto, aquilo não parecia ter qualquer resquício de terror, então não importava.

    Apenas não esperava que, em dez minutos de episódio, estivesse virando levemente a cabeça, como se tentasse entender o porquê de repentinamente estar chovendo na cena, apenas para rir brevemente logo depois com milhares de figurantes voando pelo cenário. As coisas aconteciam rápido demais, e parecia ter uma estória relativamente decente, então ao menos conseguiria distrair sua mente.
    avatar
    Harold Wilhelm
    Capricórnio

    Mensagens : 163
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Idade : 22

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Harold Wilhelm em Qui Jun 04, 2015 12:21 am

    Teria continuado a rir mais se o ar não fosse começar a fazer falta, com a respiração fatalmente atrapalhada pela almofada prensada contra si, de forma que parecia que ia carimbar seus óculos para sempre em seu rosto. A vontade de rir teimou em diminuir e Harold perdia metade das forças quando tinha aquelas crises, sentindo até mesmo o maxilar doer, de tanto que sua musculatura facilmente não estava acostumada com aquilo. Conseguiu sentar-se de novo, já bem menos eufórico, mas ofegante por ter sido quase asfixiado pelo loiro. Ajeitou os óculos no rosto, deixando o cabelo desarrumado como aparentava ter ficado, já que ao menos via os fios brancos da franja não estarem onde costumavam estar.

    Rin parecia ter se entretido com outra coisa e por fim, resolveu prestar atenção no que a TV passava na sequência do filme. Num grunhido baixo, esticou o corpo com um pouco de esforço até alcançar o notebook e mexer o cursor, para que as informações do que quer que estivesse passando aparecessem. Era um desenho japonês, reconhecia pelo traço e pelo tipo de animação. “Kill la Kill”. O nome sugeria algo que não fazia tanto sentido, mas pelas cenas que teve que ficar quieto e parado por um tempo para assimilar, o próprio negócio não parecia fazer tanto sentido assim. Só ele havia notado que de uma cena pra outra começara a chover? E por que kanjis gigantes apareciam na tela, tampando a cena inteira, a cada nome de personagem ou de golpe ou... De tipo de uniforme também? Bufou um riso de canto, ajeitando-se de frente para a tela, ao lado de Rin, cruzando os tornozelos por cima do sofá e apoiando os cotovelos nos joelhos.

    Certo, o loiro parecia ter ficado realmente aflito com o filme anterior. Harold pegava pesado nas brincadeiras e reconhecia isso, mas como não queria importunar o rapaz, o daria uma colher de chá. Pegou o celular do bolso da calça e procurou rapidamente a sinopse do desenho que assistiam naquele momento. Parecia engraçado e teria algum tipo de ação. Talvez fosse interessante assistir para quebrar a tensão anterior do rapaz. Faria esse sacrifício. — Mankanshoku Mako, é o nome da guria retardada com uniforme de marinheiro branco e azul, né? Porra. Tenta repetir isso cinco vezes rápido. MankanshokuMakoMankanshokuMakoManshankosh- ... merda. — Proferiu, falhando no próprio desafio, enquanto o segundo episódio começava a apresentar a “abertura”. Prestando atenção agora, a personagem principal tinha um figurino bem peculiar. Não era o primeiro desenho japonês que assistia, sabia que isso era bem comum vindo deles. Mas pensava qual seria o contexto forçado da vez.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 290
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Rin Damien em Qui Jun 04, 2015 1:09 am

    Não tinha certeza do que esperar daquele desenho, mas estando o entretendo, mesmo com toda a falta de sentido que aquilo parecia ter, não havia problemas. Ao término do primeiro episódio, voltou o olhar a Harold, um sorriso repuxando o canto de seus lábios ao ouvir o que ele falava. Ainda que estivesse irritado pelo terror, era impressionante como o modo que se sentia em relação ao outro podia mudar rapidamente, indo de raiva a achar graça nas idiotices alheias, a afeição, talvez. – Prefiro nem tentar. – Comentou, estendendo a mão de modo a alcançar os fios brancos do albino e ajeitar a bagunça que ele próprio causara, antes de voltar sua atenção ao programa.

    O anime, no fim das contas, fazia algum sentido no meio da falta de noção extrema e de exageros que poderiam ser considerados desnecessários, porém que imaginava que eram o que fazia daquilo tão especial. Estava feliz de ter outra folga amanhã, senão teria parado pelo meio para tentar dormir; ou talvez continuasse, já que provavelmente não conseguiria. Como acabaram assistindo vinte e poucos episódios direto, o loiro não fazia ideia, mas no último, já estava tão envolvido no que acontecia que preferia nem questionar. Na cena que se passava, Gamagori, um dos personagens que havia sido importante, se ferira, e Mankanshoku Mako parecia que iria chorar a qualquer momento sobre o corpo.

    E, de fato, chorou. Dois jatos de lágrimas que ocuparam toda a superfície ocular saíam dos olhos da menina, e, por um segundo, Rin apenas encarou a tela, quieto, encostado no sofá, logo após deslizando para o lado, não contendo a risada alta que deixou seus lábios enquanto caía. Aquilo não era só ridículo, durante uma cena aparentemente séria. Nem sabia descrever o que era, nem conseguia pensar em qualquer coisa que não fosse a cena que havia acabado de se passar, o que o fez pegar o controle e pausar, de modo que não perdesse o que viesse depois, tentando controlar o acesso de riso enquanto encostava a cabeça no braço do sofá. Se o resto chegasse a ser ruim, teria valido a pena ver tudo apenas por aquele exato momento.
    avatar
    Harold Wilhelm
    Capricórnio

    Mensagens : 163
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Idade : 22

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Harold Wilhelm em Qui Jun 04, 2015 1:45 am

    Certo, pelo menos aparentemente não levaria outra almofadada na cara naqueles instantes posteriores. Rin ainda parecia querer manter a compostura de irritado, mas não foi difícil arrancar um riso dele depois daquele comentário babaca. Mesmo sério, irritante, frio e nojento, Harold sabia ser engraçado quando lhe convinha. Olhou o outro de esguelha enquanto tinha o cabelo arrumado, levando a mão à cabeça dele e fazendo o oposto nos fios loiros. Porém, eram tão sedosos e finos que mesmo desarrumados pareciam ainda se manter em ordem mesmo depois de violentamente sacudidos pelos dedos de Harold. Soltou um “tsc” em desistência, quando tentou de novo e os fios voltaram ao mesmo lugar mais uma vez.

    Não havia visto a hora passar, nem sequer havia prestado atenção na quantidade de episódios que passava. Só de vez em quando se dava o trabalho de olhar e toda vez tinha uma surpresa por terem avançado mais do que achava que tinham. O negócio tinha vinte e poucos episódios e já estavam quase lá. Na metade, ambos acharam que já teriam uma noção do que o anime se resumiria após uma dica da própria – antiga – antagonista, Kiryuin Satsuki. Que por sinal, já estava tendo o nome zoado por Harold toda vez que era pronunciado por qualquer personagem dali, principalmente pela Ryuko, que praticamente gritava o nome dela sempre. O rumo dos episódios mudou completamente e tanto o loiro quanto o albino começaram a se entreter mais a partir do ponto que cada episódio terminava de um jeito polêmico, sempre com uma surpresa que nenhum deles fazia ideia do que viria.

    Sendo principalmente esses detalhes sem noção que apareciam de uma hora pra outra, que fazia a graça do desenho arrancar algumas risadas dos dois. Até pelo horário, que já deveriam ser quase quatro da manhã e os dois já não estavam batendo muito bem da cabeça. Harold já estava acostumado a passar noites acordado à base de café e doces. Rin parecia estar seguindo seu exemplo. Bom garoto.

    Curiosamente, a cena que deveria ser dramática veio acompanhada de uma cena que nocauteou Rin pro lado, mas deixou Harold abismado durante uns três segundos. Abriu as duas mãos pros lados num sinal de “Quê”, pegou o controle e voltou a cena mais duas vezes até pausar de novo e deslizar pelo encosto do sofá pro mesmo lado que Rin, deitando de costas no mais velho e rindo tanto quanto ele. Mas por já ter batido sua cota de crise de risos daquele dia, já estava particularmente cansado para mais um round. Se encolheu para o lado, escorregando para o espaço que tinha entre Rin e o sofá. Passou a mão pelo rosto e tirou os óculos, além da franja de cima da testa, ficando de lado e apoiando o rosto na almofada mais próxima, rindo nela. Como não tinha uma estatura pequena ou ao menos mediana, jogou um dos braços por cima de Rin para que "coubessem" os dois ali e ficou largado, tentando saber como parava de rir pois seu rosto voltava a doer. Certo, aquele era um péssimo horário para ver coisas estúpidas. Para os dois.
    avatar
    Rin Damien
    Virgem

    Mensagens : 290
    Data de inscrição : 05/03/2014

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Rin Damien em Qui Jun 04, 2015 11:43 am

    Nem se importou com o peso extra sobre si, visto que estava ocupado demais tentando recuperar o ar entre as risadas, especialmente após ver a cena novamente. Tentou dar o mínimo de espaço para que Harold conseguisse deslizar para seu lado ao notar que ele o fazia, aos poucos também retirando a cabeça do braço do sofá para deitá-la ao lado da do outro enquanto a crise de risos enfraquecia. Não queria mais ver aquilo hoje; aquela cena acabara com qualquer força que ainda estivera em si para continuar acordado. Logo amanheceria, e ali estavam, dois idiotas rindo de uma cena retardada de um desenho que acabaram vendo acidentalmente.

    Tanto o notebook quanto a TV permaneciam ligados, havia louça que deveria ser lavada, e muito provavelmente após fazer tudo que precisava, Rin se arrumaria propriamente e iria deitar na cama. No entanto, não estava com a mínima vontade para sequer contemplar levantar. Em parte pelo cansaço, em parte por saber que, se fosse dormir sozinho, provavelmente teria alguma dificuldade graças ao filme desgraçado que viram anteriormente. Então, conforme as risadas morriam, o loiro apenas deixou os olhos se fecharem, se acomodando no pequeno espaço que possuía e deixando o sono e a segurança momentânea falarem mais alto.
    avatar
    Harold Wilhelm
    Capricórnio

    Mensagens : 163
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Idade : 22

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Harold Wilhelm em Sex Jun 05, 2015 12:23 am

    Aos poucos pôde sentir maior liberdade de respirar e recuperar o ar, assim que as risadas foram diminuindo, junto com as de Rin. Derrotados e largados, talvez a melhor opção fosse no momento dar uma pausa. Ficou com a cena na memória e um sorriso menor no rosto, contendo a vontade de voltar a rir a qualquer momento. Porém, distraído com a memória imbecil daquela cena tosca, não esperava olhar pro lado e dar de cara com o rosto de Rin, bem mais próximo do que achava que estaria quando deitou-se. Ele parecia ter se recuperado mais cedo e não tendo a mesma resistência que Harold para varar a noite acordado, era compreensível que caísse rápido no sono. Pensou se seria uma opção para si também, aproveitando que já estava ali e que se tentasse sentar de novo, o acordaria. Ajeitou-se de forma que o espaço ficasse melhor distribuído para os dois caberem ali sem muitos problemas e tentou dormir, fechando os olhos e ignorando a televisão ainda pausada. Por algum motivo, sentir a respiração do mais velho próxima a si facilitou a sonolência, que resultou num selar discreto nos lábios de Rin, que provavelmente Harold não se lembraria direito quando acordasse. Mas não foi o suficiente para acordar o outro.

    Quando abriu os olhos novamente, parecia que não havia dormido sequer dois segundos, mas já havia passado uma hora e meia. Ainda estavam na mesma posição, mas percebia algo que deveria ser o motivo de ter sido acordado. Não ouviu o bipe do celular, mas a luz piscado como alerta de notificação se destacou na sala ainda escura, devido ao Sol que não tinha nascido direito ainda e as cortinas fechadas da janela da sala. Debruçou-se no cotovelo e coçou a cabeça de forma sonolenta, esticando o braço por cima do loiro, sem encostar no mesmo e com muito esforço, puxou o celular até conseguir pegá-lo. Voltou a mesma posição e morreu instantaneamente com a luz repentina do aparelho em sua cara, rapidamente diminuindo o brilho da mesma nas configurações. Por serem modelos parecidos, Harold não se tocou de imediato que o celular era de Rin e não dele. Só foi notar isso quando percebeu uma foto de Poe no papel de parede. Praguejou silenciosamente pela própria confusão, parando um segundo antes de soltar o celular no sofá mesmo e voltar a dormir – o nome de alguém que conhecia bem.

    Arthemis: Bom dia. Tudo bem por aí? ♥

    Bufou. Era a folga dela e ela deveria ter acordado para estudar. Fala sério. Mas certo, mesmo sonolento e acabado de acordar de uma soneca cansada, ainda assim sabia pensar rápido o suficiente em algo para foder com a concentração de sua irmã nerd. Esticou o braço e virou a câmera para si, porque estava escuro e a frontal não tinha flash. Foi rápido o suficiente para ouvir Rin murmurar e se mexer minimamente, mas sem acordar. Respondeu a mensagem da primogênita com um “Morre aí.” e com a foto anexada, voltando a dormir.

    Conteúdo patrocinado

    Re: [#24] Mesa e Cadeira — A Saga, Parte 4

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua Out 18, 2017 10:47 am