Fórum RPG somente para jogadores dentro o grupo. Caso tenta interesse em entrar, entre em contato com a administração.


    [#26] Portas e ovelhas homoafetivas

    Compartilhe
    avatar
    Heike_Walker
    Áries

    Mensagens : 171
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Localização : Na casa do caralho

    Re: [#26] Portas e ovelhas homoafetivas

    Mensagem por Heike_Walker em Qua Ago 05, 2015 1:54 am

    Uma calma se alastrou pelo corpo do ariano ao notar o moreno sorrir após o breve selar dos lábios e assim pôde sustentar seu olhar intenso sem problema algum. Não sabia dizer o que o moreno procurava ao focar em suas orbes escuras com tanta atenção, mas sentia de algum modo que o que estavam fazendo agora parecia até mais íntimo do que transarem desenfreadamente. Amigos não fazem esse tipo de coisa, certo? Não sentam nus um na frente do outro e trocam beijos e olhares. Se Nero fazia esse tipo de coisa com todos os seus amigos, Heike com certeza ficaria muito ofendido.  Mas sequer teve tempo de pensar mais nada ao que teve o corpo apertado e então os lábios tomados em outro selar suave, mas muito mais longo.

    O loiro se sentia quente. Parecia mentira que estava ali com a boca de Nero contra a própria. Será que tinha desmaiado antes e agora estava alucinando? Parecia muito mais provável do que a realidade.

    Acabou ofegando baixo e deixando um riso soprado preencher o silêncio que se instalara no quarto ao que ele se afastou, pelo visto o filme havia acabado em algum momento, e teve de se conter para não acabar suspirando bobo com o sorriso largo que recebeu do amigo. Assim, se inclinou em sua direção e deslizou a língua contra seu lábio inferior numa tentativa breve de iniciar um beijo mais intenso, porém foi interrompido ao que ele direcionou um olhar demorado a seu corpo e abriu aquele sorriso que não conseguiu identificar. Se sentiu mais exposto do que deveria ali e por um instante teve vergonha, teve o impulso de se cobrir mesmo que não fizesse sentido nenhum. Abriu os lábios sem saber o que responder, mas nem precisou pensar muito já que no segundo seguinte sentiu os dígitos lhe tocarem onde estava tão sensível.

    Heike paralisou onde estava, um arrepio intenso percorrendo seu corpo, então acabou deixando um som engasgado de surpresa escapar ao que ele deslizou a ponta do dedo pela fenda dolorida já, tão carente de atenção. Trincando os dentes, aumentou o aperto em seus fios e fechou os olhos, tentando pensar em qualquer coisa coerente, qualquer coisa que não o fizesse parecer ainda mais idiota. Ali na calma do momento, sem nenhuma afobação e nenhuma dúvida, escutar a voz rouca do amigo dizendo aquelas coisas ao mesmo tempo que sentia seu toque que mais se assemelhava brasa a pura, tudo parecia ainda mais real que antes. E-Eu... Tentou falar, lhe responder, mas foi inútil já que não conseguia se lembrar de nenhuma palavra para formar a frase que queria. Na verdade sequer sabia que frase era essa. Se aproximando um pouco, deixou a cabeça tombar contra seu ombro e semicerrou os olhos, guiando a mão livre para junto a dele no próprio membro, numa confirmação muda para que ele continuasse. E como poderia dizer não?
    avatar
    taurusnero
    Touro

    Mensagens : 170
    Data de inscrição : 26/02/2014

    Re: [#26] Portas e ovelhas homoafetivas

    Mensagem por taurusnero em Sex Ago 14, 2015 12:22 am

    Nero não se adiantou de forma alguma, seus dedos escorregando levemente pela cabeça do membro alheio em um toque suave, porém hesitante, como se o gesto pedisse a permissão que precisava para seguir adiante, assim como o próprio taurino esperava através da resposta para suas questões. No entanto, o que o moreno recebera fora muito melhor do que palavras, ao menos em sua visão, afinal escutar o som que escapou dos lábios de Heike, os efeitos que um singelo toque causara no corpo menor e a forma como ele apoiara a cabeça em seu ombro, tudo parecera mexer consigo com uma intensidade que não soube por em palavras, mas que lhe fez prender a respiração por instantes. Resolveu apenas compreender o que o outro desejava com o contato da mão alheia sobre a sua, e simplesmente se deu o direito de envolver o membro rijo, escorregando os dígitos por toda a extensão em um movimento lento, porém firme.

    Era quase como se tocasse o outro rapaz em reconhecimento. Seus dígitos subiam e desciam de forma calma, escorregando pelo sexo alheio com cuidado suficiente para que absorvesse cada detalhe do mesmo sob a sensibilidade de seu tato. Preocupava-se em senti-lo, em escutar e observar quaisquer reações que podia arrancar com aquele contato, assim como seu corpo reagia involuntariamente. Era como se dar prazer para Heike o deixasse ainda mais excitado. Grunhiu baixinho, sem conseguir conter-se e cerrou os olhos, ao que movimentou a cabeça de encontro à que jazia apoiada sobre seu ombro. Não podia enxergá-lo, obviamente, fosse pela posição, fosse pelas pálpebras caídas, porém podia sentir seu cheiro perfeitamente, o perfume emanado pelo menor deixando-o ainda mais mexido, bagunçando a respiração que havia voltado a pesar.

    E não soube quando começara, mas passou a sentir o ambiente muito mais quente do que antes, do que quando estavam envolvidos de forma mais selvagem. Tudo que estava fazendo era tocar Heike, por que sentia aquilo com tamanha intensidade? Era engraçado, e não resistiu a rir rouco contra a orelha alheia, a face pendendo para frente para que seus dentes marcassem a curva de seu pescoço, a velocidade dos movimentos aumentando aos poucos.
    avatar
    Heike_Walker
    Áries

    Mensagens : 171
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Localização : Na casa do caralho

    Re: [#26] Portas e ovelhas homoafetivas

    Mensagem por Heike_Walker em Sex Ago 14, 2015 1:52 am

    Um som rouco e quase agoniado escapou os lábios do loiro, o corpo tremendo quase dolorido ao que sentia o outro tocando a cabeça de seu membro que estava tão, tão sensível. Estava tão duro e inchado que o membro pulsou contra seus dedos ao que sentiu ele espalhar o pouco de pré gozo que havia ali, e acabou arqueando o corpo em sua direção e gemendo baixo ao que finalmente teve toda a extensão envolvida pelos seus dígitos num aperto firme.

    Sentir o movimento suave de subir e descer, daquele jeito devagar e cuidadoso, só o tornava ainda mais consciente do que acontecia ali. Era Nero. Era a mão de Nero o masturbando. Nero. Vocalizou seu nome sem ao menos perceber, passando a empurrar o quadril contra sua mão em movimentos leves de acordo com o ritmo dele, quase rebolando instintivamente em busca de mais. Era Nero ali, não estava sonhando e muito menos delirando. Não estavam fazendo isso por impulso, era uma vontade real, uma necessidade real. E tudo parecia tão quente que Heike mal conseguia respirar. Principalmente com seu cheiro tão próximo.

    Levado pelo prazer daqueles toques mais calmos e do clima mais envolvente e intenso que antes, o menor se entregou às sensações sem pensar muito mais, se aproveitando daquela intimidade cúmplice que Nero oferecia. Assim, um ofego gemido e surpreso se fez presente ao ter o pescoço marcado, a respiração quente naquela área sensível levando ondas de prazer pelo corpo inteiro. Queria inclinar a cabeça para o lado e se submeter a vontade dele, deixar o espaço livre para que a boca do maior abusasse de sua pele, porém em vez disso passou a depositar uma série de beijos entre ofegos em seu ombro ao passo que deslizava as mãos trêmulas pelos seus braços, então pelo seu tórax, explorando o caminho até seu ventre.

    Não ia demorar muito para gozar, não depois de tanto tempo naquele estado. Mas queria fazer isso junto com o outro, queria tocar e lhe dar prazer também, queria sentir seu membro e aquelas esferas, queria sentir o outro tremendo na própria mão como fazia agora. - Hmn...
    avatar
    taurusnero
    Touro

    Mensagens : 170
    Data de inscrição : 26/02/2014

    Re: [#26] Portas e ovelhas homoafetivas

    Mensagem por taurusnero em Ter Ago 18, 2015 7:19 pm

    Esperava realmente que sua mente colaborasse e assimilasse todas as reações de Heike em um conjunto de memórias, e de preferência, um que se mantivesse consigo para sempre. Era estranho pensar daquela forma, considerando que começaram como amigos e que o outro nutria sentimentos por si. Era até egoísta desejar algo do tipo. Mas Nero não conseguiu evitar o pensamento, quando os sons que o menor produzia invadiam seus ouvidos, ou quando podia sentir o quadril alheio em busca de mais do contato com sua mão. Receber os beijos, sentir o toque das mãos dele escorregarem pelos seus braços, tudo parecia uma mistura de coisas boas demais para serem esquecidas algum dia. Queria marcar aquilo tudo em si.

    O ar escapou de seus pulmões de forma pesada, quando o toque das mãos alheias chegaram muito perto de seu ventre, a sensação quente induzindo seus dedos a escorregarem com mais intensidade, em uma velocidade que já destoava da com que começara. Seu corpo parecia suar involuntariamente em meio à tensão do momento, ao tesão que sentia por tê-lo tão próximo. Heike podia fazer aquilo. Heike podia tocá-lo. Queria senti-lo. Porém impediu que uma das palmas continuasse seu caminho. Ao invés, a levou lentamente aos próprios lábios ao mesmo tempo em que se afastava um mínimo de Heike. Seu gosto ainda estava em sua boca, ainda vivo da mordida, ainda bom, mas resolveu reavivá-lo ao que tocou as pontas dos dígitos dele com os lábios, beijando-os, deixando que eles escorregassem entre os carnudos para que encontrassem sua língua. Gestos calmos, demorados, enquanto seu olhar pesava na direção do rapaz menor.

    Heike, olhe para mim. Nero pediu em um tom quase suplicante. Podia sentir que o outro não duraria muito mais, podia sentir a pulsação do membro em sua posse, podia perceber o excesso dos fluídos que escorriam por sua glande. Por isso pediu, por querer vê-lo quando atingisse o clímax. Queria ver qual seria a expressão do loiro ao gozar, que espécie de nova memória ele lhe daria. Por favor...
    avatar
    Heike_Walker
    Áries

    Mensagens : 171
    Data de inscrição : 26/02/2014
    Localização : Na casa do caralho

    Re: [#26] Portas e ovelhas homoafetivas

    Mensagem por Heike_Walker em Ter Set 15, 2015 7:25 pm

    Honestamente Heike sequer conseguiu se ver frustrado quando o maior retirou as mãos do caminho que seguiam até seu pênis, impedindo que o tocasse. Queria muito fazer aquilo, muito mesmo, mas quando sentiu ele se afastar de seu pescoço, deixando um vazio ruim sem sua presença, e levar os dígitos até seus lábios, o loiro acabou mordendo o próprio inferior com certa força. Era difícil sequer pensar coerentemente nas próprias vontades quando parecia prestes a gozar a cada segundo que passava.

    Os olhos escuros se prenderam aos alheios e o maios novo acabou gemendo tanto pela intensidade com a que era encarado, quanto ao sentir os dígitos se perderem dentro da boca dele, tocando sua língua tão quente e úmida ao que eram sugados tão devagar. Heike já estava no limiar da sanidade e o outro ainda lhe provocava assim, era até crueldade da parte dele. Sorrindo fraco com o pensamento, ofegou e semicerrou os olhos, subindo a mão livre até os fios escuros e os agarrando num aperto firme pela nuca, usando-o de apoio para que pudesse arquear o corpo e mover o quadril mais livremente contra sua mão.

    Ao escutar ele pedir aquilo, o fitou quase em súplica ao que tentava se controlar, tentava prolongar as sensações. Não... Queria continuar, não queria que acabasse. Queria.. Queria ele... Queria sentir os dedos firmes, grandes e quentes o resto da noite, queria tocá-lo também... Queria ouvir ele gemer. Porém tentar segurar teve o efeito contrário, e logo se via cada vez mais excitado ao que pensava no outro. Nero.. Nero, eu.. Chamou com a voz baixa, rouca, quase desesperada ao que aumentava o aperto em seus fios ainda mais. Forçando o quadril contra sua mão com mais força, perdeu o próprio controle e acabou gozando forte em seus dedos, tombando a cabeça para trás e gemendo alto em meio a todo aquele prazer, apertando-o e puxando contra si quase como se sua vida dependesse disso em puro reflexo.

    Conteúdo patrocinado

    Re: [#26] Portas e ovelhas homoafetivas

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Qua Out 18, 2017 10:46 am